MEMÓRIA

Hospital de campanha da FAB relembra atuação no Haiti após terremoto em 2010

Encerramento da ajuda humanitária da Força Aérea Brasileira completa uma década em maio deste ano
Publicado: 29/05/2020 08:00
Imprimir
Fonte: Agência Força Aérea, por Tenente Adauto Fraga
Edição: Agência Força Aérea - Revisão: Major Monteiro

Desde que iniciou o atendimento em Porto Príncipe, capital do Haiti, em 15 de janeiro de 2010, apenas cinco dias após um grande terremoto, o Hospital de Campanha (HCAMP) da Força Aérea Brasileira (FAB) atendeu pacientes, realizou procedimentos médicos (atendimentos odontológicos, retirada de pontos, curativos etc.), fez partos e cirurgias.

O encerramento da ação de ajuda humanitária da FAB completa dez anos em maio de 2020, mas aqueles dias permanecem vivos na memória de quem participou. É o caso do Coronel Médico da Reserva Marcus Aurélio Bezerra de Andrade, à época Major, que comandou o terceiro contingente do HCAMP na missão. Ele lembra que encontrou uma cidade destruída pelo terremoto, com instituições frágeis e um povo com muitas necessidades. “Muitos pacientes com malária, sífilis e infecção pelo HIV. Apesar do sofrimento, era um povo alegre e que tinha particular simpatia com os brasileiros. Penso que retornamos dessa missão melhores pessoas”, declara.

Nos primeiros 15 dias, os atendimentos eram, majoritariamente, às vítimas de traumas decorrentes de desabamentos. Nas semanas seguintes, cresceram os tratamentos pós-traumáticos, os cuidados com feridas mal curadas. Foram realizadas intervenções para corrigir cirurgias mal executadas no dia do terremoto, quando os socorristas se desdobravam para salvar vidas, em locais impróprios, com técnicas rudimentares. O HCAMP distribuiu, ainda, medicamentos gratuitos. No total, cerca de 460 mil produtos foram entregues à população haitiana.

Preparação
O Comandante do HCAMP e Chefe da Divisão de Saúde Operacional da Subdiretoria de Logística e Saúde Operacional da Diretoria de Saúde da Aeronáutica, Tenente-Coronel Médico Rodolfo José Seraphico de Souza Siqueira, explica que, hoje em dia, os militares médicos, dentistas e farmacêuticos se preparam para esse tipo de ajuda desde o curso de adaptação no Centro de Instrução e Adaptação da Aeronáutica (CIAAR), em Lagoa Santa (MG). “Além das aulas teóricas, nós montamos o Hospital de Campanha para fazer Ações Cívico-Social. Os alunos participam da montagem de uma parte da estrutura do HCAMP e atendem a população durante uma semana”, destaca.

Segundo o militar, esse tipo de atividade é extremamente engrandecedora. “No Haiti, era gratificante a forma como o paciente reconhecia nosso trabalho. Não é à toa que temos um grande número de voluntários”, conclui o Tenente-Coronel Rodolfo.

Números do HCAMP
- Pacientes atendidos: 24.184;
- Procedimentos médicos: 36.028 (atendimentos odontológicos, retirada de pontos, curativos etc.);
- Partos realizados: 200;
- Atendimentos ginecológicos e de pré-natal: 2.971;
- Ultrassonografia: 1.667;
- Cirurgias realizadas: 1.145 (odontológicas, 743; abdominais, 202; ortopédicas, 200);
- Medicamentos distribuídos: 460.163;
- Profissionais de saúde: 189 (74 médicos, oito dentistas, oito farmacêuticos, nove enfermeiros e 90 graduados de diversas especialidades).

Peacekeepers
O dia 29 de maio tem significado especial para os militares que participaram de uma Operação de Paz: Dia Internacional dos Peacekeepers das Nações Unidas. O objetivo é homenagear aqueles que serviram em Operações de Manutenção de Paz da Organização das Nações Unidas (ONU).

O Brasil participa de Operações de Paz desde 1956, quando enviou um Batalhão de Infantaria de Força de Paz, Batalhão Suez, para integrar a Primeira Força de Emergência das Nações Unidas (UNEF I) no conflito árabe-israelense. Anos depois, contingentes brasileiros estiveram em Moçambique, Angola, Timor Leste e Haiti.

Atualmente, o Brasil está no comando da Força-Tarefa Marítima (FTM) da Força Interina das Nações Unidas no Líbano  (UNIFIL). A Marinha do Brasil mantém um navio e uma aeronave orgânica em apoio a essa missão.

Foto: Cabo Silva Lopes/CECOMSAER