NOTIMP - NOTICIÁRIO DA IMPRENSA

Capa Notimp Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil e até do mundo. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.


PORTAL G1


Permissão para decolagem do monomotor que caiu em Belém não estava em nome do piloto, informou Infraero

As investigações continuam sobre o por que do plano de voo estar em nome de Lucas Santos, segundo consta no Sistema da Agência Nacional de Aviação Civil, a Anac. Outro ponto a ser esclarecido é a quem pertence a aeronave.

Publicada em 21/02/2019 11:35

Uma semana após a queda de um monomotor no bairro do Benguí em Belém, a Infraero informou que a permissão para decolagem do avião, estava em nome de Lucas Ernesto Santos, o jovem de 24 anos que morreu no acidente. O co-piloto, Bruno Alencar, continua internado

Diante desse informação continuam as investigações sobre o por que do plano de voo estar em nome de Lucas Santos, segundo consta no Sistema da Agência Nacional de Aviação Civil, a Anac. Outro ponto a ser esclarecido é a quem pertence a aeronave, até agora, de acordo com a policia civil, o dono não foi identificado.

A polícia ainda aguarda a alta de Bruno Alencar para tomar o depoimento dele sobre o que ocorreu. A aeronáutica e a policia civil apuram as causas do acidente que resultou na morte do co-piloto. De acordo com a Polícia Federal, Bruno já foi preso por furto de aeronaves no estado do Mato Grosso. Ele foi detido em 2016 após furtar um avião que pertencia a uma emissora de TV. Três advogados do piloto acompanharam o caso.

Operação mira adolescentes suspeitos de envolvimento com tráfico de drogas e roubos em Londrina

Justiça autorizou o cumprimento de 25 mandados de apreensão e de condução. Um adolescente apreendido foi flagrado com munição de calibre 9 milímetros.

Luciane Cordeiro | Publicada em 21/02/2019 08:17

A Polícia Civil apreendeu 11 adolescentes suspeitos de crimes como tráfico de drogas, roubos, furtos e estupro em Londrina, no norte do Paraná, na manhã desta quinta-feira (21).

As apreensões ocorreram durante uma operação deflagrada, nas primeiras horas da manhã, para cumprir 25 mandados de busca e condução. Não foram encontrados 14 adolescentes.

O delegado Ernandes Cézar Alves explicou que os mandados de condução são contra menores que não estão cumprindo medidas socioeducativas.

"Em algum momento foram apreendidos e a Justiça decidiu soltá-los desde que cumprissem medidas educativas e comparecessem em juízo. Por algum motivo esses menores descumpriram o que foi determinado e agora foram alvos desses mandados de condução. Devem explicar porque não cumpriram essas determinações", detalhou o delegado.

Um dos jovens apreendidos, conforme a Polícia Civil, estava com munição de calibre 9 milímetros – usada pelas Forças Armadas.

A ação foi batizada de "Adolescente VIII", porque essa foi a oitava operação desse tipo em seis anos.

"Percebemos que o número de adolescentes envolvidos com tráfico, roubo e furto tem diminuído ano após ano, mas aumentou o número de menores suspeitos de abuso sexual. Isso mostra que há uma falha no controle social e da banalização de informações para e pela população. É imprescindível a criação de políticas que priorizem educação, saúde e a família e que as ações sejam pensadas a longo prazo. É necessário fortalecer a estrutura social", explicou o delegado Ernandes Alves.

Os adolescentes apreendidos foram encaminhados para o Centro de Socioeducação (Cense) de Londrina.

Venezuela: limite de ação do Brasil para levar ajuda humanitária é a faixa de fronteira, diz porta-voz

Otávio Rêgo Barros afirmou que governo mantém previsão de enviar alimentos e remédios para Roraima no sábado. Mais cedo, nesta quinta, Nicolás Maduro anunciou fechamento da fronteira.

Guilherme Mazui | Publicada em 21/02/2019 19:05

O porta-voz do presidente Jair Bolsonaro, Otávio Rêgo Barros, informou nesta quinta-feira (21) que o limite de ação do Brasil em relação à Venezuela é a faixa de fronteira.

Rêgo Barros convocou uma entrevista coletiva no Palácio do Planalto para falar sobre a ajuda humanitária que o Brasil pretende enviar à Venezuela no sábado (23), com alimentos e medicamentos.

De acordo com o porta-voz, a ajuda será transportada até Boa Vista e Pacaraima por motoristas brasileiros. A partir da fronteira, explicou, os medicamentos e os alimentos deverão ser transportados por motoristas venezuelanos.

Mais cedo, nesta quinta, porém, o presidente venezuelano Nicolás Maduro informou que iria fechar a fronteira do país com o Brasil, em Roraima. A fronteira foi fechada às 21h desta quinta.

"Da parte do governo brasileiro, diante da nossa soberania, o limite de ação é a faixa de fronteira. Os fatos, os eventos, as ações desencadeadas além da nossa borda de fronteira são, naturalmente, de responsabilidade do governo venezuelano", afirmou o porta-voz.

Rêgo Barros afirmou que uma aeronave da Força Aérea Brasileira (FAB) saiu de Porto Alegre (RS) com 22,8 toneladas de leite em pó. A aeronave pousou em Brasília na noite desta quinta para ser abastecida com 500 kits de primeiros-socorros e seguirá até Boa Vista.

Segundo Rêgo Barros, os caminhões venezuelanos serão conduzidos por cidadãos venezuelanos e deverão entrar no Brasil, pegar os itens da ajuda humanitária e levá-los ao país.

O porta-voz afirmou que, segundo relatos de militares brasileiros em Roraima, a fronteira estava "aberta e com fluxo normal" nesta quinta-feira.

Envio da ajuda humanitária

Segundo Rêgo Barros, o Brasil mantém a programação de enviar a ajuda humanitária no próximo dia 23.

"Estamos disponibilizando os meios logísticos na região de operações, inicialmente em Boa Vista, depois uma subárea de apoio logístico em Pacaraima, e depois nos quedamos a vinda dos caminhões de transporte dirigidos por venezuelanos", declarou o porta-voz.

Questionado se o governo teme algum tipo de conflito na região da fronteira, respondeu: "O governo brasileiro não identifica, neste momento, possibilidade de fricção na região porque o ponto focal é a ajuda humanitária."

Rêgo Barros também informou que, se os caminhões venezuelanos não puderem entrar no Brasil para buscar a ajuda, os alimentos e medicamentos ficarão estocados em Boa Vista e Pacaraima.

Ele acrescentou, ainda, que os alimentos não são perecíveis e podem ficar estocados por um tempo "bastante alongado".

Segundo o porta-voz, a situação na fronteira com a Venezuela já foi discutida pelo presidente Jair Bolsonaro em uma reunião na tarde desta quinta com os ministros Onyx Lorenzoni (Casa Civil), Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional) e Carlos Alberto dos Santos Cruz (Secretaria de Governo).

De acordo com Rêgo Barros, o vice-presidente Hamilton Mourão e o ministro Ernesto Araújo (Relações Exteriores) irão à Colômbia participar de uma reunião do Grupo de Lima.

Crise política

A Venezuela enfrenta uma profunda crise política, social e econômica.

A inflação no país já ultrapassa 1.000.000% ao ano; milhares de cidadãos têm fugido do país para outras regiões da América Latina; e líderes de oposição têm denunciado perseguição política por parte do regime Maduro.

O Brasil já declarou que não reconhece a legitimidade de Maduro como presidente do país e passou a considerar o líder oposicionista Juan Guaidó como presidente interino da Venezuela, assim como Estados Unidos, Colômbia e o Parlamento Europeu, por exemplo.

Nicolás Maduro diz ser vítima de uma tentativa de golpe de Estado, comandada pelos Estados Unidos.

 

22 de fevereiro, sexta-feira

Bom dia Aqui estão os principais assuntos para você começar o dia bem-informado.

Publicada em 22/02/2019 01:30

Fronteira fechada entre Brasil e Venezuela. Maduro determinou o bloqueio para tentar barrar a entrada de ajuda humanitária. Apesar disso, a missão brasileira será mantida, e hoje deve decolar de Brasília o avião da FAB com toneladas de itens de primeira necessidade. De olho no leão: o governo divulga as regras do Imposto de Renda 2019. Oscar 2019: quem são os favoritos dos leitores do G1 para levar as estatuetas de melhor atriz e melhor filme? E a nova música de Anitta. O G1 mostra os bastidores da criação de 'Bola rebola'.

Crise na fronteira

A fronteira entre Brasil e Venezuela em Roraima está fechada desde as 21h de ontem, horário determinado pelo presidente venezuelano, Nicolás Maduro. Venezuelanos que haviam entrado no território brasileiro pouco antes foram alertados de que não poderiam voltar. A ordem de Maduro tenta impedir a entrada de ajuda humanitária anunciada pelos EUA e outros países como o Brasil, prometida para sábado após pedido do Juan Guaidó, líder da oposição autodeclarado presidente.

Apesar do fechamento da fronteira, o governo brasileiro anunciou que vai manter a missão humanitária aos venezuelanos. Um avião da FAB deve decolar hoje de manhã para Boa Vista, com 22,8 toneladas de leite em pó e 500 kits de primeiros-socorros. Segundo o porta-voz da presidência, Otávio Rêgo Barros, cidadãos venezuelanos deverão entrar no Brasil, pegar os itens da ajuda humanitária e levá-los ao país.

Ontem, Guaidó partiu em caravana para a fronteira com a Colômbia, que Maduro também ameaçou fechar. Ainda se desconhecem os detalhes sobre como garantir a passagem do carregamento de comida, remédios e itens de higiene, e o G1 explica como será o dia 'D' da ajuda humanitária para Venezuela.

BANDNEWS FM


Avião da Gol aborta decolagem para evitar colisão no Galeão

A aeronave seguiria do Rio de Janeiro para Fortaleza

Eduardo Frumento | Publicada em 21/02/2019 14:38

O Departamento de Controle do Espaço Aéreo vai investigar o incidente que envolveu um avião da Gol que se preparava para decolar, mas teve que abortar a manobra para evitar uma colisão, fazendo uma freada brusca na pista.

A aeronave seguiria do Rio de Janeiro para Fortaleza, nesta quinta-feira (21). O caso aconteceu no Aeroporto Internacional do Galeão, na Zona Norte do Rio, e não impactou o tráfego aéreo. De acordo a administradora do terminal, a torre de comando ordenou que a decolagem fosse abortada porque um outro avião, que pousaria em outra pista arremeteu, e como precisaria fazer uma curva para a esquerda poderia colidir com a aeronave que iniciava a decolagem.

A jogadora de vôlei Vitória Rodrigues estava no voo que se preparava para decolar e contou que os passageiros ficaram assustados com a manobra.

Os passageiros foram desembarcados e a aeronave precisou passar por uma manutenção nos freios devido a um superaquecimento nas rodas. A companhia Gol informa que as ações do piloto foram orientadas pela Torre de Comando e que as medidas mantiveram a segurança de todos os passageiros.

Durante a madrugada desta quinta-feira (21), um avião da Lufthansa precisou fazer um pouso de emergência no Galeão depois de apresentar problemas nos flaps, equipamentos sobre as asas que auxiliam no pouso. O voo LH501 que seguia da capital fluminense para Frankfurt, na Alemanha, era realizado por um Boeing 747, o maior da empresa, com capacidade para mais de 380 pessoas.

Para diminuir o peso da aeronave e permitir um pouso seguro, a tripulação obtou por despejar o combustível no oceano. Ninguém ficou ferido e a companhia aérea alemã afirmou que prestou toda a assistência aos passageiros.

PORTAL DEFESANET


IACIT inicia a instalação do sistema SCCE 0100 em 17 radares meteorológicos da FAB

Sistema elimina interferências nos radares, aumentando a confiabilidade para uso dos dados no Sistema de Tempo Severo Convectivo, permitindo identificar chuvas intensas que comprometem a segurança de voos

Publicada em 21/02/2019 06:00

A IACIT, empresa brasileira com atuação consolidada no desenvolvimento de produtos e serviços de alta tecnologia, iniciou neste mês de fevereiro a instalação do sistema SCCE 0100 nos 17 radares meteorológicos da Força Aérea Brasileira (FAB), que cobrem o território nacional.

Além dos sistemas para os 17 radares, a empresa também entregará outros quatro SCCE 0100 nos CINDACTA (Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo) 1, 2 e 4 e no PAME-RJ (Parque de Material de Eletrônica da Aeronáutica do Rio de Janeiro).

Todos os 21 sistemas SCCE 0100, desenvolvidos e fabricados pela IACIT passaram, recentemente, com sucesso, pelos testes de aceitação em fábrica (FAT).

O SCCE 0100 atende a uma demanda da FAB, para garantir a confiabilidade dos dados transmitidos pelos Radares Meteorológicos que alimentam o Sistema de Tempo Severo Convectivo. Esse sistema mostra onde há chuvas de grande intensidade e que podem comprometer a segurança de voos. Hoje, além dos dados do Radar Meteorológico, é necessário cruzar informações com sistemas que identificam descargas elétricas, para determinar onde estão ocorrendo as chuvas de grande intensidade.

O SCCE 0100 baseia-se no conceito DBF (Digital Beamforming), de detecção e processamento de dados digital, com o uso de oito antenas de recepção, para identificar de onde está vindo um sinal de RF (radiofrequência), para, assim, poder eliminar esses dados do radar. O mesmo conceito já havia sido adotado para o único Radar OTH (Over the Horizon) da América Latina, também de fabricação da IACIT.

“A IACIT aproveitou o know how adquirido com o desenvolvimento e manutenção de radares meteorológicos e com o desenvolvimento do Radar OTH para chegar a essa solução inovadora”, destaca o Diretor de Projetos da empresa, Gustavo Hissi.

Transbordo de tecnologia 

O conceito DBF empregado no SCCE 0100 e no Radar OTH é uma das especialidades da IACIT, que acumula mais uma diferenciação no mercado de alta tecnologia. Com tal domínio, a empresa brasileira tem capacidade de desenvolver outras soluções nas áreas de defesa e segurança pública, que requerem a identificação de sinais interferidores. Ao adotar tais tecnologias, integradas com dados de inteligência, é possível identificar de onde estão partindo determinados sinais. Em cenários de guerra, pode-se usar para identificar onde estão tropas e equipamentos inimigos. Na área de segurança pública, por exemplo, pode-se combater sistemas que interferem no sinal de GPS e de celulares, usados por quadrilhas de roubo de cargas.

“São muitas as possibilidades de aplicação de tal tecnologia e a IACIT sai na frente com um grande conhecimento acumulado e equipe especializada para desenvolver projetos como esse do SCCE 0100, customizados para atender a uma demanda específica”, conclui Hissi.

Sobre a IACIT

Certificada pelo Ministério da Defesa como Empresa Estratégica de Defesa (EED), a IACIT vem atuando há mais de 32 anos em projetos ligados ao setor. Com a criação do Departamento de Engenharia de Pesquisa e Desenvolvimento e a implantação de uma unidade fabril há 10 anos, a empresa ampliou o portfólio de produtos e serviços. Atualmente, a IACIT é a única empresa brasileira fabricante de auxílios à navegação aérea, e fabrica também radares meteorológicos, radares Oceânicos, radares para Vigilância Marítima – OTH, sistemas de telemetria e telecomandos e equipamentos e soluções de contramedida eletrônica aplicadas à segurança pública e defesa.

Possui uma estrutura de engenharia certificada para o desenvolvimento de soluções tecnológicas complexas tanto para hardware como para software, tendo lançado recentemente produtos meteorológicos de software baseados em redes neurais artificiais (RNA) para aplicação na gestão do tráfego aéreo, proporcionando grandes benefícios para navegação em rota e pouso de aeronaves.

PORTAL IG -ÚLTIMO SEGUNDO


Bolsonaro fala em Previdência justa para todos e sem privilégios

Em pronunciamento oficial, presidente citou a necessidade da reforma para equilibrar contas e disse que ela é causa comum para o futuro do Brasil. Veja

Publicada em 21/02/2019 11:25

O presidente Jair Bolsonaro afirmou, nesta quarta-feira (20), que a reforma da Previdência apresentada por ele ao Congresso Nacional é mais exigente do que a atual, mas que é "justa para todos" e  "sem privilégios". As declarações foram dadas durante um pronunciamento realizado na noite de ontem em rede nacional (TV e rádio), o primeiro feito pelo presidente desde que ele assumiu o cargo, em 1º de janeiro.

Segundo Bolsonaro, "A nova Previdência será justa para todos. Sem privilégios. Ricos e pobres, servidores público, políticos ou trabalhadores privados." "Todos seguirão as mesmas regras de idade e tempo de contribuição", explicou.

A Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 6/2019, também conhecida como nova Previdência , foi entregue aos presidentes da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, e do Senado Federal, Davi Alcolumbre, na manhã de ontem (20). O texto propõe idades mínimas para aposentadoria de 62 anos para mulheres e 65 para homens, além de 20 anos de tempo de contribuição .

Os valores servem tanto para servidores privados quanto públicos. Outros cargos, que possuem regimes especiais, como professores, trabalhadores rurais e policiais, também tiveram suas idades mínimas e contribuições aumentadas.

De acordo com Bolsonaro , a partir da reforma, "as pessoas de todas as classes vão se aposentar com a mesma idade." Ele também ressaltou que, apesar das prováveis mudanças, os trabalhadores poderão contar com as regras de transição "para que todos possam se adaptar ao novo modelo”, e garantiu que os direitos adquiridos até agora "estão garantidos", seja para quem já está aposentado seja para quem completou os requisitos para se aposentar.

O presidente falou, ainda, sobre a reforma para os militares, que não entrou neste texto entregue ao Congresso Nacional. Ele garantiu que a classe também será englobada na reforma da Previdência, mas em uma proposta separada, que deve ser enviada dentro de 30 dias . "Respeitaremos as diferenças, mas não excluiremos ninguém", declarou.

Em seguida, Bolsonaro citou as novas alíquotas , que, de acordo com o novo regime, serão cobradas em maior valor para os mais ricos e em menor para os mais pobres. "E com justiça: quem ganha mais, contribuirá com mais. Quem ganha menos, contribuirá com menos ainda", explicou o presidente.

Reforma é necessária para equilibrar contas, garantiu Bolsonaro

Ao lado de ministros, o presidente Jair Bolsonaro entregou a proposta de reforma da Previdência para os presidentes da Câmara dos Deputados e do Senado Federal

Bolsonaro ressaltou também a necessidade de se fazer a reforma para "equilibrar as contas do País" e "evitar que o sistema [previdenciário] quebre". De acordo com os dados divulgados ontem (20) com a proposta, caso seja aprovada com o texto original, o governo espera uma economia R$ 1,165 trilhão em dez anos, número que  já havia sido levantado pelo ministro da Economia, Paulo Guedes . Nos quatro primeiros anos, R$ 189 bilhões em gastos podem ser poupados.

"Nós precisamos garantir que, hoje e sempre, todos receberão seus benefícios em dia e o governo tenha recursos para ampliar investimentos na melhoria de vida da população e na geração de empregos", disse o presidente.

Por fim, Bolsonaro ressaltou que sabe que o modelo apresentado é mais rigoroso do que o atual, mas afirmou que a mudança é necessária para um bem maior. "Nós sabemos que a nova Previdência exigirá um pouco mais de cada um de nós. Porém, é para uma causa comum: o futuro do nosso Brasil e das próximas gerações. Estou convicto que nós temos um pacto pelo País, e que juntos, cada um com sua parcela de contribuição, mudaremos nossa história com mais investimentos, desenvolvimento e mais emprego", disse.

JORNAL DO SENADO


CRE aprova audiências com chanceler Ernesto Araújo e ministro da Defesa


Publicada em 21/02/2019 11:34

A Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE) deverá fazer nas próximas semanas, em datas a serem acertadas, audiências públicas com os ministros das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, e da Defesa, general Fernando Azevedo e Silva. Os requerimentos foram aprovados durante reunião nesta quinta-feira (21).

O presidente da CRE, senador Nelsinho Trad (PSD-MS), explicou que as audiências atendem recomendações, previstas no Regimento Interno da Casa, de que os ministros dessas pastas devem comparecer ao colegiado no início de cada ano legislativo.

Será também uma oportunidade para que cada um deles trate sobre as prioridades e diretrizes que estão imprimindo no início de uma nova gestão. A política externa brasileira tem enormes desafios. O mesmo se dá na área da defesa, no que tange, por exemplo, à modernização das Forças Armadas. Com o agravamento da situação econômica, é preciso que a sociedade esteja a par de quais projetos sofrerão contingenciamentos, assim como as medidas visando diminuir o impacto dessas restrições no Exército, na Marinha e na Aeronáutica. Os problemas e desafios de cada um deles são inúmeros — disse.

Venezuela

Ainda durante a reunião, o presidente da CRE elogiou a parceria entre Brasil e Estados Unidos no envio de ajuda humanitária à Venezuela.

— O governo Bolsonaro vai permitir o uso pacífico de nosso território visando viabilizar a logística de entrega de alimentos e medicamentos à Venezuela. Caminhões com esses suprimentos serão conduzidos por venezuelanos que fazem oposição a Nicolas Maduro, a partir de postos instalados em Boa Vista e Pacaraima [em Roraima]. Todos nós sabemos que o povo venezuelano amarga uma crise social e econômica sem precedentes. É mais do que justo que o Brasil atue com solidariedade neste momento, apoiando o restabelecimento da democracia e do desenvolvimento na nação vizinha.

PORTAL SPUTNIK BRASIL


Quem ganha? Sistemas de mísseis antinavio dos EUA e Rússia são comparados em detalhe


Publicada em 21/02/2019 12:04 | Atualizado em 21/02/2019 12:06

Analistas militares analisaram as características do Bal russo e do RGM Harpoon americano e compararam vários critérios capazes de influir no resultado da batalha.

Especialistas do semanário russo Zvezda notam que o sistema Bal, entrado em serviço em 2008, está instalado sobre um chassi todo-terreno MZKT-7930, que permite manobrar rapidamente e tomar posições de tiro em zonas costeiras não preparadas previamente pela engenharia.

O sistema Bal está armado com mísseis de cruzeiro antinavio Uran Kh-35 com alcance de voo de até 260 quilômetros. O míssil segue uma rota programada, comparando-a com o sistema inercial, e ao aproximar-se do alvo a uma altura de um a dois metros acima do mar ativa o radar de busca.

O recheio altamente explosivo de 670 quilos da ogiva pode destruir qualquer navio com um deslocamento de até 5.000 toneladas. Um míssil é suficiente para levar ao fundo um navio de guerra inimigo. Além disso, o sistema Bal pode disparar salvas ou fazer o lançamento de um míssil isolado, o que economiza munições e elimina o risco de detecção pelo inimigo. Cada lançador Bal dispõe de uma reserva de 32 mísseis.

O Harpoon é colocado em instalações de 4 câmaras em navios, veículos terrestres e aéreos e está operacional desde 1977. Na versão clássica do foguete, o corpo de 4,5 metros contém uma munição de fragmentação com 221 kg de massa. Isso é menos do que o da sua contraparte russa, mas isso é suficiente para afundar um navio.

O Harpoon não precisa de estradas. Seus principais lugares de ação são o mar e o ar, pois funciona diretamente na perfeição a partir de um navio ou de um avião. No início da produção dos Harpoon, uma instalação de 4 contêineres de lançamento em fibra de carbono foi criada especificamente para navios de superfície e lanchas.

A versão para aviação dos mísseis Harpoon é compatível com a maioria das aeronaves de combate da OTAN. Os aviões antissubmarino Lockheed P-3 Orion a turboélice ou Boeing P-8 Poseidon a jato são os seus portadores típicos.

Quanto a lançadores terrestres do míssil Harpoon, teoricamente eles existem, mas na realidade já nenhum desses lançadores pode ser visto nos exércitos dos EUA ou dos países da OTAN. O Harpoon americano, tal como o foguete russo, voa para o alvo a uma altitude ultrabaixa a uma velocidade de 850 quilômetros por hora. Após o tempo especificado pelo operador, é ativado o radar de busca ativa do alvo em um setor de 45 graus.

Dependendo do alvo, o míssil acerta diretamente no costado ou faz uma manobra subindo 1,5 km mergulhando depois sobre o alvo, mas nesse caso fica vulnerável à defesa antiaérea. Seu alcance, mesmo nas novas versões do foguete, está longe dos indicadores russos — apenas 220 quilômetros.

"Assim, o sistema de mísseis costeiros Bal, com sua mobilidade, poder de fogo e velocidade de desdobramento, se tornou um verdadeiro 'martelo' a jato nas costas marítimas russas", dizem os especialistas militares.

A modernização em larga escala do Harpoon, anunciada pelo Pentágono em 2008, ainda continua decorrendo. Segundo o programa, centenas de mísseis estão sendo modernizados. Destes, 800 são apenas para sistemas terrestres.

Os especialistas concluíram que os misseis Harpoon tradicionais já têm dificuldade em lidar com os requisitos da guerra moderna, mesmo as novas modificações não resolvem tudo.

O alto custo de mais de 700 mil dólares (R$ 2,6 milhões) por unidade também é um obstáculo sério. O sistema russo Bal não só é 3 vezes mais barato, como também é mais leve e tem um alcance mais longo.

OUTRAS MÍDIAS


AEROFLAP - Embraer recebe os primeiros motores para a produção do E195-E2 em série


Publicada em 21/02/2019 11:45

A Embraer recebeu da Pratt & Whitney os primeiros motores PW1900G de série, que vão equipar aeronaves E195­E2. Esses primeiros motores vão equipar aviões da Azul Linhas Aéreas, que é a companhia de lançamento da aeronave.

A Embraer já estava recebendo motores PW1900G anteriormente, mas para equipar os jatos E190­E2. No total oito motores deste modelo já foram entregues. A primeira entrega de um E195­E2 da Azul deverá ser realizada no início do segundo semestre deste ano, enquanto isso a Embraer continua com o processo de certificação da aeronave, que deverá ser concluído em junho.

O motor de nova geração PW1900G é um dos responsáveis pela redução de 24% no custo por assento do E195­E2, em comparação com a aeronave de mesmo nome da geração anterior.

AEROFLAP - Lockheed Martin apresenta novo caça exclusivo para a Força Aérea Indiana


André Magalhães | Publicada em 21/02/2019

A Lockheed Martin apresentou ontem o mais “novo” caça F-21, a aeronave de fabricação norte-americana será construída exclusivamente para a Força Aérea Indiana (IAF).

Visivelmente o F-21 é um F-16, porém com modificações em relação aos F-16 comuns, o nome F-21 deve ter sido escolhido como uma forma de marketing.

As diferenças do F-21 para seu antecessor, o F-16 Block 70, estão na adição da carenagem do equipamento dorsal, uma sonda retrátil de reabastecimento em voo alojada no tanque de combustível, uma tela touchscreen no cockpit de grande tamanho e três lançadores para mísseis ar-ar AIM-120 Amraam, nas asas.

“O F-21 é diferente por dentro e por fora”, disse Vivek Lall, vice-presidente de estratégia e desenvolvimento de negócios da Lockheed Martin Aeronautics. O F-21 é uma marca registrada, não uma designação oficial dos EUA, e significa “Fighter for the 21st century” (Caça do Século 21), disse ele.

A Lockheed Martin ainda diz que o F-21 tem algumas características de caças de 5º geração, como o F-22 Raptor e o F-35 Lightning II.

A Índia tem problemas diplomáticos com outras nações, principalmente com a China e o Paquistão, que fazem fronteira com o país asiático.

Devido a isso a Índia gosta de se armar, isso nas três forças. No caso da IAF, além do F-21, o país também terá o Dassault Rafale, da França, e tem o Sukhoi SU-30MKI, recentemente o país também comprou alguns lotes de caças MiG 29.

AEROFLAP - Equipe do Cenipa leva para análise motor do helicóptero que transportava Boechat


Publicada em 21/02/2019 18:59

O Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos) realizou o transporte do motor do helicóptero Bell 206B. A perícia do componente será realizada pela IAS (Indústria de Aviação e Serviços), localizada em São José da Lapa, perto de Belo Horizonte. O Cenipa afirmou que a empresa é a única do Brasil que pode dar um parecer sobre o motor. O Cenipa vai conduzir a investigação, e os dados encaminhados pela IAS serão incorporados no relatório do acidente. O helicóptero envolvido foi fabricado em 1975, e tinha capacidade para quatro passageiros e um piloto. A empresa dona do equipamento não estava autorizada a fazer o transporte de pessoas no estilo taxi-aéreo.