HISTÓRIA

Patrimônio da FAB em Cachimbo (PA) é tombado

Campo de pouso, maquinário e edificação da primeira usina hidroelétrica são agora bens protegidos por lei
Publicado: 26/12/2011 16:06
Imprimir
Fonte: CENDOC

O campo de pouso e o maquinário e a edificação da primeira usina hidroelétrica de Cachimbo são agora bens protegidos por lei. Eles foram tombados em função de possuírem valor histórico, cultural, arquitetônico e ambiental para as Forças Armadas e para o Brasil, o que impede a destruição ou descaracterização do bem. O patrimônio tombado está localizado no Campo de Provas Brigadeiro Velloso (CPBV), na Serra do Cachimbo (PA).

O campo de pouso, sem pavimentação, foi o aeródromo pioneiro do Destacamento de Aeronáutica de Cachimbo, onde pousaram os primeiros aeroplanos da Força Aérea na região. Já a edificação de alvenaria, que abrigou a primeira usina hidrelétrica de Cachimbo, foi construída em 1954.

Os bens foram tombados por meio da Portaria nº 569/GC4, de 18 de outubro de 2011. A proposta originou-se no CPBV e foi avaliada pelo Centro de Documentação e Histórico da Aeronáutica (CENDOC), por meio da Comissão de Patrimônio Histórico e Cultural da Aeronáutica (CPHCA), encarregada de realizar estudos técnicos relativos à viabilidade das propostas.

Cachimbo fez parte de uma rede de Destacamentos de Aeronáutica construídos no Brasil Central, entre as décadas de 1940 e 1950, que permitiu o desenvolvimento da navegação aérea naquelas regiões.

Até o início da década de 50, Cachimbo era uma área isolada, desprovida de infraestrutura urbana e praticamente inacessível por terra. O então Major Aviador Haroldo Coimbra Velloso chefiou a comissão encarregada de construir o Destacamento de Aeronáutica de Cachimbo, inaugurado em janeiro de 1954, que prestava apoio à segurança de vôo no interior do Brasil.

Antes de Cachimbo, um voo Rio-Manaus era feito em, no mínimo, quatro dias, com escalas ao longo do litoral nordestino. Depois, a rota passou a ser feita diretamente pelo interior do Brasil.