NOTIMP - NOTICIÁRIO DA IMPRENSA

Capa Notimp Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil e até do mundo. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.


TV GLOBO - FANTÁSTICO


Vídeo mostra caçada aérea a traficantes que trazem toneladas de cocaína para o Brasil

Interceptação da Força Aérea Brasileira (FAB) impediu a entrega de um carregamento de drogas por um avião a serviço do crime. Investigação prendeu pilotos, acusados de fazer parte de um esquema milionário do tráfico.

Publicada em 20/09/2020 22:34

A reportagem especial do Fantástico mostra uma investigação que levou à prisão pilotos de avião, acusados de fazer parte de um esquema milionário e complexo de tráfico de drogas. E o cerco a traficantes no espaço aéreo brasileiro.

Ao longo de anos, os pilotos ganharam importância dentro de organizações criminosas e fizeram fortunas. Mas novas tecnologias de rastreamento estão tornando a atividade clandestina deles mais difícil.

Veja na reportagem:

  • A interceptação da Força Aérea Brasileira (FAB) que impediu a entrega de um carregamento de drogas por um avião a serviço do crime;
  • Quem são os pilotos do tráfico, que voam baixo para se esconder dos radares e entrar com toneladas de cocaína no Brasil;
  • Os novos equipamentos usados para monitorar voos suspeitos;
  • A prisão de pilotos e traficantes de drogas que viviam uma vida de luxo financiada pelo crime organizado, com direito a jatinho particular.
PORTAL AEROIN


FAB usa de helicópteros e grande logística para levar recursos a Índios no Maranhão


Carlos Roman | Publicada em 20/09/2020 19:09

A Força Aérea Brasileira (FAB) participa da Missão Maranhão, uma ação interministerial com o objetivo de levar equipamentos de proteção individual (EPI), testes de COVID-19, medicamentos e profissionais de saúde para comunidades indígenas do estado do Maranhão. A ação, realizada pelo Ministério da Defesa juntamente com o Ministério da Saúde e o Ministério da Justiça, integra a Marinha, o Exército e a Aeronáutica e ocorre em três fases, no período de 14 de setembro a 05 de outubro, visando a atender mais de 30 mil índios.

Para oferecer atendimentos especializados aos indígenas, no combate ao novo Coronavírus, médicos e enfermeiros das três Forças Armadas foram destacados dos estados de Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro, Pará e Maranhão. Na primeira fase da Missão, que ocorre de 14 a 21 de setembro, esses profissionais de saúde prestam atendimentos a populações das Terras Indígenas nos Polos Bases de Barra do Corda. A segunda ocorre no período de 21 a 28 de setembro e seguirá para os municípios de Santa Inês e Zé Doca. A terceira, de 28 de setembro a 5 de outubro, vai atender populações dos municípios de Grajaú, Arame e Amarante.

Nos dois primeiros dias da Missão Maranhão, uma aeronave H-36 Caracal, pertencente ao Primeiro Esquadrão do Oitavo Grupo de Aviação (1º/8º GAV) – Esquadrão Falcão – transportou 38 profissionais de saúde para a Aldeia Escalvado, onde vivem índios da etnia Canela. Nos próximos dias, a previsão é atender moradores das aldeias de Porquinhos, Santa Maria e Três Irmãos.

“Estamos transportando militares da área de saúde da base em Imperatriz para as aldeias, que ficam em terrenos não preparados, de difícil acesso. Se o transporte ocorresse por via terrestre, a ação ia demorar muito”, informou o Capitão Aviador Andrey Araújo Moulin, do Esquadrão Falcão.

A Tenente Médica Roseana Beltrão da Silva Sovano Guimarães, pediatra do Hospital de Aeronáutica de Belém (PA), conta que é muito grata por fazer parte da Força Aérea e ter a chance de ajudar o País, levando saúde à população, em especial às crianças indígenas. “Levar um pouco de assistência é gratificante. Estamos sentindo também a gratidão por parte deles, em todos os lugares fomos bem recepcionados, a população nos recebeu com cânticos e danças típicas. Fiquei encantada. Meus olhos enchem de lágrimas diante de uma cultura tão rica”, revela a militar.

Além dos militares de saúde da Marinha do Brasil, do Exército Brasileiro e da Força Aérea Brasileira, profissionais da Secretaria Especial de Saúde Indígena (SESAI) também integram a equipe, formada por clínicos gerais, pediatras, ginecologistas, um infectologista, enfermeiros e técnicos de enfermagem.

Essa ação interministerial no estado do Maranhão é a 15ª missão voltada para comunidades indígenas durante a Operação COVID-19.

Operação COVID-19

A Operação COVID-19, coordenada pelo Ministério da Defesa, mobiliza militares por todo o Brasil. Homens e mulheres das Forças Armadas atuam no enfrentamento à pandemia do novo Coronavírus, em apoio à população. As ações envolvem descontaminação de espaços públicos, doações de sangue, transporte de medicamentos e equipamentos de saúde, distribuição de kits de alimentos para pessoas de baixa renda, entre outras. Na execução dessas atividades, os militares atuam organizados em 10 Comandos Conjuntos que cobrem todo o território nacional, bem como no Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE). Esses Comandos reúnem militares das três Forças (Marinha do Brasil, Exército Brasileiro e Força Aérea Brasileira), que desenvolvem esforços no cumprimento das missões.

Esquadrão Gordo da FAB usa aviões Hércules em combate a queimadas no Pará

Aeronave C-130 Hércules e tripulantes do Esquadrão Gordo atuam na missão utilizando o sistema de combate a incêndio MAFFS (do inglês, Modular Airborne Fire Fighting System)

Carlos Roman | Publicada em 20/09/2020 08:00

A Força Aérea Brasileira (FAB) emprega a aeronave C-130 Hércules para o combate a incêndios florestais que atingem a região da Serra dos Carajás, em Parauapebas, no sudeste do Pará. A missão ocorre desde o dia 9 de setembro e integra a Operação Verde Brasil 2, deflagrada pelo Governo Federal. Sob a responsabilidade do Ministério da Defesa, a Operação conta com ações preventivas e repressivas contra delitos ambientais, direcionadas ao desmatamento ilegal, além do combate a focos de incêndio.

O avião é operado pelo Primeiro Esquadrão do Primeiro Grupo de Transporte (1°/1° GT) – Esquadrão Gordo, que atua na missão, utilizando o sistema de combate a incêndio MAFFS (do inglês, Modular Airborne Fire Fighting System), com capacidade para transportar 12 mil litros de água. O equipamento conta com dois tubos que projetam água pela porta traseira do avião a uma altura aproximada de 150 pés (cerca de 46 metros). A área onde ocorre os incêndios é uma região de mata densa, com pequenos espaços de cerrado baixo, onde há focos de incêndio que se propagam pelo vento ou por condução de calor pelo solo e raízes.

O Capitão Aviador Ítalo Holanda de Oliveira, um dos pilotos do avião, comenta o porquê da aeronave C-130 Hércules ser tão importante neste tipo de operação. “Neste período, já realizamos mais de 40 saídas, com cerca de 500 mil litros de água lançados por meio do MAFFS. É uma honra atuar nesse tipo de missão em prol da Nação e da preservação das nossas florestas”, disse. 

Já o Sargento Santos Campos, mecânico da aeronave, destacou que o Esquadrão mantém, durante todo ano, a pronta-resposta para missões como esta, dado o nível de importância para o País.  

Operação Verde Brasil 2

A Operação Verde Brasil 2 é coordenada pela Vice-Presidência da República, em apoio aos órgãos de controle ambiental e de segurança pública. A missão começou em 11 de maio com foco em ações preventivas e repressivas contra delitos ambientais na Amazônia Legal. As ações ocorrem em faixas de fronteira, terras indígenas, unidades federais de conservação ambiental e outras áreas federais.

Informações da Força Aérea Brasileira

PORTAL AEROFLAP


Primeiro Gripen E da Força Aérea Brasileira chega no Brasil


Pedro Viana | Publicada em 20/09/2020 14:59

Está desembarcando hoje (20/09) em Navegantes (SC) o primeiro caça Gripen E encomendado pela Força Aérea Brasileira. A aeronave está chegando embarcada no navio mercante Elke AG, que já está aguardando para entrar no Porto de Itajaí (SC).

A entrada no porto é realizada com auxílio de barcos rebocadores. A viagem foi iniciada no dia 29 de agosto, e neste momento (tarde de domingo) o navio já está atracado no porto de Itajaí.

A aeronave já está na área de cargas do Porto de Itajaí, e será transportada ainda hoje para o Aeroporto Internacional de Navegantes. Vale ressaltar que o Gripen E está totalmente montado, e voará de Navegantes para Gavião Peixoto nesta semana.

Em Gavião Peixoto, local de produção da Embraer para a aviação militar, a aeronave realizará alguns testes em solo brasileiro, e utilizando pilotos de testes do Programa Gripen E na Força Aérea Brasileira.

O Gripen E estará totalmente operacional em 2021, mas antes deverá realizar um voo de demonstração nas comemorações da FAB ao Dia do Aviador, 23 de outubro. O evento será realizado na Ala 1, localizada no Aeroporto de Brasília.

O Brasil terá 36 caças Gripen E/F, que serão designados pela FAB como F-39. Os caças ficarão sediados na ALA 2, em Anápolis (GO), sob responsabilidade do 1º Grupo de Defesa Aérea.

Um dos pontos fortes da compra do caça é a transferência de tecnologia, ou seja o Brasil vai aprender a construir o caça, tanto que uma parcela destes 36 serão construídos no Brasil, sendo que essa etapa já começou. Os Gripen E/F substituirão aos poucos as unidades do F-5EM/FM e do A-1 AMX, padronizando a frota e melhorando a capacidade de combate da FAB

.

DEFESATV


Militares das três Forças realizam adestramento de Salto Livre Operacional

Militares da Marinha, Exército e Força Aérea, estão no Comando de Operações Especiais realizando Adestramento Conjunto de Salto Livre Operacional para tropas de operações especiais

Redação | Publicada em 20/09/2020 08:47

Um treinamento que visa por em condições de defender a Pátria militares da Marinha do Brasil (MB), do Exército Brasileiro (EB) e da Força Aérea Brasileira (FAB). Onde o constante treinamento, busca garantir a segurança da república, dos cidadãos e a ordem constitucional vigente diante de ameaça externa.

Neste contesto, o Comando de Operações Especiais (Copesp) sedia desde o dia 14, e com termino previsto para o próximo dia 25 de setembro, o Adestramento Conjunto de Salto Livre Operacional para tropas de operações especiais.

O exercício é caracterizado pela interoperabilidade, atuação conjunta das três Forças. Ao todo, 75 militares participam do treinamento, que é dividido em duas fases: doutrinária e prática.

O Comandante do Esquadrão Aeroterrestre de Salvamento (Parasar), da FAB, tenente-coronel I.C, enfatiza que esse tipo de capacitação certifica a prontidão do País para empregar suas tropas, caso necessário, e fala da importância do trabalho conjunto.

“O treinamento tem como objetivo a troca de conhecimento entre as equipes. As expectativas são as melhores. Em cada salto, agregamos conhecimento e trocamos experiências, tanto na parte de planejamento quanto na execução do lançamento propriamente dito”, afirma.

Para saltar, o paraquedista porta mochila, fuzil, capacete, óculos, equipamento de comunicação de rádio, paraquedas principal e reserva, além do cilindro de oxigênio.

Devidamente equipados, ingressam na Aeronave C-130 Hércules da FAB, sentam em lugares previamente determinados e conectam seu cilindro à mangueira do console de oxigênio, pois, devido à altitude, o gás pode ser escasso.

A cada dia de treinamento, é praticada uma modalidade: salto em baixa ou alta altitude, a depender do determinado para o dia.

O Comandante do Grupamento de Mergulhadores de Combate (GRUMEC), da MB, capitão de fragata E.M, explica que o Salto Livre Operacional requer treinamento e atualizações constantes.

Para ele, a interação entre integrantes das três Forças enriquece cada militar em particular. “Esse treinamento proporciona a todos os Mergulhadores de Combate participantes que se atualizem, troquem experiências com militares de outras Forças Armadas, conheçam táticas, técnicas e procedimentos novos e depurem suas habilidades individuais”, enfatizou.

Compõem a missão, por parte do EB, militares do grupo de Operadores Especiais do 1º Batalhão de Forças Especiais (1° BFE), do Batalhão de Ação e Comandos (Comands), da Companhia de Precursores Paraquedistas (Cia Prec Pqdt) e do Batalhão de Dobragem, Manutenção de Paraquedas e Suprimentos pelo ar (Dompsa).

O Adestramento de Salto Livre Operacional prepara os militares de elite das Forças Armadas, profissionais que atuam em operações de treinamento de excelência e armamento superior.

O Coordenador da Subchefia de Operações Conjuntas do Ministério da Defesa (CHOC), coronel Arnon Diniz, ressalta a importância desse trabalho para a Defesa do País.

“O Adestramento contribui com os objetivos expressados pela Política Nacional de Defesa a serem alcançados, com vistas a assegurar a Defesa Nacional, que é conceituada como o conjunto de atitudes, medidas e ações do Estado para a defesa do Território Nacional, da soberania e dos interesses nacionais contra ameaças preponderantemente externas, potenciais ou manifestas”, afirmou.

CHEGOU 1º Caça Gripen da FAB desembarca em Navegantes-SC

Já é brasileiro

Mateus De Paula Vieira | Publicada em 20/09/2020 15:06

O primeiro caça Gripen da FAB acaba de desembarcar no litoral catarinense, tendo cruzado o Atlântico à bordo do navio cargueiro Elke desde a Suécia ao Brasil. O F-39 Gripen E está parcialmente montado, e seguirá agora para o Aeroporto Internacional de Navegante, de onde após montado, seguirá seu translado até Gavião Peixoto, no interior de SP.

O Elke zarpou do porto de Norrköping, na Suécia em 01 de Setembro e sua viagem até Navegantes foi tranquila. O Brigadeiro Baptista Jr, Comandante-Geral de Apoio [Logística] da FAB publicou em sua conta no twitter uma foto da aeronave no porão do navio enquanto se dava a travessia.

O ELKE, responsável pelo translado da ‘encomenda’ é um navio de bandeira de Antigua e Barbuda (AG), com 138 m de comprimento. Encontra-se ancorado no porto de Navegantes, de onde seguirá para a vizinha Itajaí.

O F-39 está com seu motor instalado. Agora segue ao Aeroporto Internacional de Navegantes onde será totalmente montado e seguirá voando para o Centro de Estudos e Desenvolvimento do Gripen em Gavião Peixoto-SP, onde especialistas da SAAB e da Embraer seguirão com a campanha de ensaios em voo para certificação da aeronave e validação dos requisitos de projeto impostos pela FAB dentro do programa FX-2, participando de missões no clima e geografia nacionais. A decolagem da nova aeronave “4100” rumo ao interior paulista deve ocorrer no dia 25 de setembro.

Um voo durante as comemorações do Dia do Aviador em 23 de outubro está programado, e deve ocorrer em Brasília na presença de autoridades. O primeiro Gripen E totalmente operacional será entregue à FAB em 2021. O Brasil encomendou 36 aeronaves, sendo 28 unidades monoplaces (F-39/E) e oito biplaces (F39/F). Todos novos caças serão baseados em Anápolis-GO.

OUTRAS MÍDIAS


CAVOK - ATUALIZADO: Caça Gripen E da FAB chega em Navegantes


Redação | Publicada em 20/09/2020 09:56

O navio mercante que trouxe da Suécia o primeiro caça F-39 Gripen E da Força Aérea Brasileira (FAB) chegou hoje ao seu destino final em Navegantes, Santa Catarina. Incluído o vídeo do desembarque.

Segundo dados do site Marine Traffic, o navio mercante Elke AG está neste momento na costa catarinense aguardando para atracar no porto em Navegantes. Ela partiu no dia 29 de agosto do porto de Norrkoping, na Suécia, com a valiosa carga a bordo.

No início de setembro publicamos a imagem do caça F-39 “4100” a bordo do navio, enviada pelo Brigadeiro Baptista Jr, Comandante-Geral de Apoio (Logística) da FAB. É possível ver o jato preso a um suporte metálico e com proteções apenas em partes sensíveis da fuselagem.

Nota-se que a aeronave está com motor instalado e não necessitará uma preparação extensa para ser colocado em voo após o descarregamento. O jato será levado até o Aeroporto Internacional de Navegantes, de onde decolará para o Aeroporto de Gavião Peixoto no interior paulista, provavelmente até o dia 25 de setembro.

Em Gavião Paixoto encontram-se as instalações conjuntas da Saab e da Embraer que realizarão a continuação do programa de testes de voo.

Está previsto ainda um voo para autoridades no dia 23 de outubro, em Brasília, para comemorar o Dia do Aviador.

O primeiro Gripen E operacional será entregue em 2021. O Brasil encomendou 36 aeronaves, sendo 28 monopostos F-39E e oito bipostos que recebeu a designação F-39F. Todos novos caças serão integrados no 1º Grupo de Defesa Aérea (1º GDA), com sede em Anápolis.