NOTIMP - NOTICIÁRIO DA IMPRENSA

Capa Notimp Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil e até do mundo. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.


DEFESA AÉREA & NAVAL


KC-390 da FAB transporta o laboratório Criosfera 2 para Punta Arenas


Guilherme Wiltgen | Publicada em 03/10/2022 19:11

O módulo Criosfera 2, laboratório totalmente automatizado que ampliará a coleta dados ambientais, como informações meteorológicas e sobre a química atmosférica, desembarcou nesta quinta-feira (29) em Punta Arenas, no extremo sul do Chile, transportado por um KC-390 Millennium da Força Aérea Brasileira (FAB).

O módulo cumpriu a primeira etapa a primeira etapa da viagem para ser instalado no centro do continente gelado. Lá, o módulo receberá mais equipamentos científicos e embarcará em um avião que aterrissa no gelo. A instalação será realizada no próximo verão antártico, quando será realizada a 41ª Operação Antártica, que se inicia em outubro deste ano.

De acordo com o responsável pelo projeto, o glaciologista Jefferson Simões, que também é vice-presidente do Comitê Científico de Pesquisas Antárticas, essa será a maior expedição do Brasil no interior da Antártica.

O laboratório desenvolvido pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) integra o Programa Antártico Brasileiro (Proantar). A construção do módulo, que custou R$ 250 mil, foi financiada meio a meio por Fundação de Amparo à Pesquisa do Rio Grande do Sul (Fapergs) e Conselho Nacional do Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq/MCTI). A operação logística, que envolve o transporte, a instalação na Antártica e a manutenção do módulo Criosfera 1, custará R$ 3,5 milhões. O valor é custeado pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) e a Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP), por meio dos recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT).

O módulo Criosfera 1, instalado em 2012, está localizado a 2,5mil km da Estação Antártica Comandante Ferraz (EACF), ou 667km do Polo Sul geográfico. A distância equivale a trajetória em linha reta entre Rio de Janeiro e Belém do Pará. O local servirá de apoio para a montagem do segundo módulo, o Criosfera 2, que será posicionado a uma distância de 500 quilômetros do primeiro, mais ao centro do continente gelado.

O módulo Criosfera 2 vai permitir expandir em 1 milhão de km2 a área de atuação do Proantar. Novas áreas passarão a ter monitoramento dos gases de efeito estufa na Antártica e seus dados meteorológicos serão bases importantes para a calibração de modelos sobre o balanço radiativo na Antártica. O novo módulo será instalado em área geográfica com forte sinal ambiental dos processos relacionados ao fenômeno El Niño/La Niña e o SAM (Modo Anular do Hemisfério Sul), entre outros.

Os laboratórios provêm informações de modo contínuo e automatizado de dados ambientais, que permitem o monitoramento da atmosfera antártica na variabilidade climática do Atlântico Sul, e de componentes químicos da atmosfera, como a concentração de dióxido de carbono, que são captados por sensores. As informações abastecem institutos de pesquisa e cientistas do Brasil e do exterior dedicados ao tema.

O projeto também investiga a microbiologia polar, as interações entre as massas de ar antárticas e as do Brasil, avançando o conhecimento sobre as frentes frias que afetam a produção agrícola brasileira, em especial no Centro-Sul do País, além do papel do manto de gelo.

A ação é apoiada pela Secretaria Interministerial para os Recursos do Mar (SECIRM), Marinha do Brasil e Força Aérea Brasileira (FAB).

REVISTA AERO MAGAZINE


Empresa espacial da Coreia usará o Centro Espacial de Alcântara

Coreia é mais um dos países selecionados pela FAB para utilizar o Centro Espacial de Alcântara no Maranhão

André Magalhães | Publicada em 03/10/2022 09:55

A empresa sul-coreana Innospace assinou com a Força Aérea Brasilera (FAB) um contrato que permite o lançamento de veículos espaciais a partir do Centro Espacial de Alcântara (CEA), no Maranhão.

O acordo assinado na semana passada, contou com a presença do comandante da Aeronáutica, Carlos de Almeida Baptista Junior, o embaixador sul-coreno no Brasil, Lim Ki-Mo e o CEO da Innospace, Soo Jong Kim, entre outras autoridades civis e militares.

O referido contrato faz parte do Edital de Chamamento Público nº 02/2020 da Agência Espacial Brasileira (AEB), de 22 de maio de 2020 e possuiu uma vigência de cinco anos. O projeto visa viabilizar financeiramente o uso do centro espacial brasileiro, que por várias décadas teve uma atividade praticamente inexistente.

A AEB planeja usar os novos recursos para desenvolver as bases para formação de um polo espacial no Brasil, que deverá contar com o apoio da iniciativa privada.

"Hoje é um grande dia. Obrigado por todo o apoio e pela grande oportunidade. Estamos realizando um grande voo comercial”, disse Soo Jong Kim, CEO Innospace.

Outras empresas que já haviam sido selecionadas para operações no Brasil são a Hyperion, Orion AST e a Virgin Orbit, sendo que a última utiliza um Boeing 747 para lançar seus foguetes.

 

 

 

DEFESA EM FOCO


Projeto administrado em parceria com ITA oferece oportunidades a alunos carentes


Força Aérea Brasileira | Publicada em 03/10/2022 16:00

O Curso Alberto Santos Dumont (CASD) é um projeto administrado por alunos do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) e demais instituições apoiadoras que, há 25 anos, tem como objetivo oferecer oportunidades para jovens em situação de vulnerabilidade socioeconômica, provendo educação de qualidade de forma gratuita.

No ano de 2002, o então Prefeito de São José dos Campos e Iteano da turma de 1981, Engenheiro Emanuel Fernandes, forneceu o espaço e o subsídio para a construção das instalações que hoje são utilizadas como a sede do projeto. Atualmente, o CASD conta com cerca de 100 professores voluntários e mais de 700 alunos atendidos, somando um total de 4000 aprovações ao longo de sua história.

O curso é dividido em duas categorias, o CASDinho, focado em jovens que entrarão para o 8° ou 9° ano e que cursaram o Ensino Fundamental, inteiramente em escolas públicas; ou particulares, com bolsa de estudo; e o CASDvest, destinado à estudantes de pré-vestibular em situação de vulnerabilidade socioeconômica, que já cursaram o Ensino Médio ou que estão cursando 2º ou 3º ano.

No CASDinho, também são oferecidos cursos de preparação para a Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAr) e para olimpíadas científicas, a fim de engajar todos os alunos a imergirem no mundo do conhecimento. As aulas são 100% gratuitas. O material disponibilizado é uma doação do Poliedro, um dos melhores sistemas educacionais do Brasil, com altos índices de aprovação no ITA, que, adicionalmente, oferece bolsas de estudo para os estudantes que mais se destacam no CASD. O Poliedro foi fundado pelo também Iteano Nicolau Sarkis, da turma de 1992.

“Capacitar pessoas para alcançarem oportunidades em instituições de ensino de qualidade é uma iniciativa nobre, de grande impacto social. Educar é transformar as vidas desses jovens, para que possam ser protagonistas de sua própria história e contribuir para o futuro do nosso país, tornando-se agentes de mudança na sociedade”, pontuou o Diretor do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), Tenente-Brigadeiro do Ar Maurício Augusto Silveira de Medeiros, que visitou o projeto.

Segundo o Reitor do ITA, Professor Doutor Anderson Ribeiro Correia, o CASD tem a missão de promover a equidade do sistema educacional brasileiro, disseminando valores essenciais, como foco no aluno, solidariedade e excelência. “O ITA é amplamente reconhecido como expoente em suas áreas de atuação por ter continuamente prestado elevada contribuição para a evolução tecnológica e industrial do Brasil. Isso só é possível porque investimos nas pessoas e no poder da educação”, finalizou.

Um sonho Iteano – a história de Mateus de Paula Ribeiro

Joseense de nascimento, Mateus cresceu em um bairro humilde da zona sul de São José dos Campos. Embora pouco instruída, sua mãe sempre valorizou o poder transformador da educação. Em 2010, no 8º ano, participou da VI Jornada Espacial. Nesse evento teve o primeiro contato com o ITA e assim nasceu o sonho de ingressar em uma das mais reconhecidas instituições de ensino do país. Ainda nesse ano, tomou conhecimento do inédito e gratuito curso preparatório, o CASDinho.

Após ser aprovado no processo seletivo, foi aluno do CASDinho, em 2011. “A experiência foi muito diferente de tudo que eu já tinha vivenciado no colégio. Todos partilhavam de um objetivo comum e, indiretamente, percebíamos que a educação é uma ferramenta de transformar vidas. Esse ponto foi constantemente enfatizado por toda equipe de 2011, afinal, se propunham a transformar potencial em movimento. Na época, pude conhecer melhor o ITA durante uma preparação para a Olimpíada de Física. A partir dessas experiências, cursar o ITA tornou-se meu sonho. Todos os professores com quem partilhei essa minha intenção me incentivaram fortemente a perseguir esse objetivo”, relembra Mateus, emocionado.

Mesmo cursando o Ensino Médio em uma escola de qualidade, o sonho de estudar no ITA ainda parecia um pouco distante, entretanto, devido ao bom desempenho em Olimpíadas Científicas e aprovações em outros vestibulares, Mateus seguiu firme em seu propósito, continuou se dedicando inteiramente aos estudos e, em 2015, recebeu a tão sonhada notícia de que havia sido aprovado no ITA, um dos vestibulares mais concorridos do Brasil.

“No ITA, me vi em uma realidade completamente diferente da minha origem. Contemplei a oportunidade de mudar não só a minha vida, mas a de toda a minha família. Durante os cinco anos da graduação me dediquei única e exclusivamente ao curso para assegurar uma vaga na carreira ativa do curso de Engenharia Aeronáutica. Ao final desse ciclo de muito aprendizado e madrugadas em claro, pude atingir esses objetivos. A formatura foi a coroação desses intensos anos de ITA. Ao receber o diploma, a emoção era contagiante, mas quando anunciaram meu nome novamente não pude conter as lágrimas. Aquele garoto de 2011 no CASDinho jamais poderia imaginar que realizaria seu tão ambicioso e distante sonho de se formar no ITA, ainda mais com um desempenho louvável”, finaliza o Tenente Engenheiro Mateus de Paula Ribeiro.