NOTIMP - NOTICIÁRIO DA IMPRENSA

Capa Notimp Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil e até do mundo. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.


MINISTÉRIO DA DEFESA


Forças Armadas somam esforços com bombeiros e brigadistas no combate a incêndios no Pantanal


Por Tenente Fraga | Publicada em 18/09/2020 17:19

Brasília (DF), 18/09/2020 – O Ministério da Defesa, por meio das Forças Armadas, combateu focos de incêndio que atingem o Pantanal de Mato Grosso do Sul (MS) e Mato Grosso (MT). Em parceria com agências federais e estaduais, integrantes da Marinha, do Exército e da Aeronáutica também empregam aeronaves que transportam brigadistas e despejam água, durante os sobrevoos, para conter as chamas.

Na quinta-feira (17), as principais atividades foram realizadas com apoio do helicóptero Super Cougar (UH-15) da Marinha. Após buscar equipe do Corpo de Bombeiros Militares de Mato Grosso, no município de Cáceres (MT), para ação de reconhecimento dos focos de incêndio na Reserva Guirá, a aeronave fez a extração de Fuzileiros Navais, brigadistas e bombeiros militares da Reserva Taimã, onde já estavam há uma semana.

As ações de apoio contam com 542 pessoas, sendo militares, brigadistas e civis, e com o emprego de cinco aeronaves das Forças Armadas em voos de reconhecimento, transporte de militares e de brigadistas e lançamentos de água, abrangendo os estados de MS e MT.

Operação Pantanal

As Forças Armadas atuam, desde o dia 25 de julho, no combate a incêndio no Pantanal sul-mato-grossense. No dia 5 de agosto, as ações foram estendidas ao Pantanal mato-grossense. O Ministério da Defesa atende à solicitação recebida pelos dois estados.

O Centro de Coordenação da Operação está instalado no aeródromo do Sesc Pantanal, em Poconé (MT), ponto estratégico para o emprego dos meios. Participam da operação embarcações e helicópteros da Marinha, do Exército e da Aeronáutica, além de Fuzileiros Navais com curso de incêndio florestal.

PORTAL DEFESANET


Mão Amiga - Campanhas de doação de sangue mobilizam militares em todo o Brasil


Tenente Tássia | Publicada em 18/09/2020 13:39

A campanha de doação de sangue da Aeronáutica "Você era a gota que faltava. Doe sangue. Doe Vida!”, criada em comemoração à semana da Pátria, completa sua primeira semana. Dentro do escopo da campanha, o Hospital de Aeronáutica dos Afonsos (HAAF), localizado na capital carioca, promove ações para captar doadores e, assim, viabilizar o aumento nos seus estoques.

Nesta semana, além das coletas realizadas no HAAF, também houve coleta externa na Base Aérea de Santa Cruz (BASC) e no Parque de Material Aeronáutico do Galeão (PAMA-GL).

O adjunto da Seção de Hemoterapia, Tenente Médico Felipe José Abade Rosa, destaca que as campanhas são importantes, como forma de incentivo aos doadores. “Com a colaboração dos militares das diversas Organizações Militares, houve um aumento de 57,5% nas doações, nessa primeira semana da Campanha”, afirmou o hemoterapeuta.

Em João Pessoa, Paraíba, militares do 16º Regimento de Cavalaria Mecanizado (16º RC Mec) também participaram de campanha de doação de sangue, que beneficiou o hemocentro da cidade. A ação voluntária integra a campanha “Ajudar está no nosso sangue”, do Exército Brasileiro.

Capacitação

No Colégio Maurício Salles de Mello, em Brasília, Distrito Federal, 22 funcionários foram capacitados para desinfecção. Um militar da Companhia de Defesa Química, Biológica, Radiológica e Nuclear passou instruções teóricas e práticas sobre descontaminação de ambientes, de material e de pessoal.

Descontaminação

Militares do 16º Regimento de Cavalaria Mecanizado realizaram mais uma ação de descontaminação na grande João Pessoa, Paraíba. Dessa vez foram desinfectadas as instalações da Advocacia Geral da União e Procuradoria da União da Paraíba, como prevenção contra a disseminação do novo coronavírus.

Operação Covid-19

O Ministério da Defesa ativou, em 20 de março, o Centro de Operações Conjuntas, para atuar na coordenação e no planejamento do emprego das Forças Armadas no combate ao novo coronavírus. Nesse contexto, foram ativados dez Comandos Conjuntos, que cobrem todo o território nacional, além do Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE), de funcionamento permanente. A iniciativa integra o esforço do governo federal no enfrentamento à pandemia.

As demandas recebidas pelo Ministério da Defesa, de apoio a órgãos estaduais, municipais e outros, são analisadas e direcionadas aos Comandos Conjuntos para avaliarem a possibilidade de atendimento. De acordo com a complexidade da solicitação, tais demandas podem ser encaminhadas ao Gabinete de Crise, que determina a melhor forma de atendimento.

Comandante da Aeronáutica participa de eventos do COMGEP e do DECEA


Tenente Letícia Faria E Capitão Oliveira Lima | Publicada em 18/09/2020 13:43

O Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Antonio Carlos Moretti Bermudez, esteve, nesta quarta-feira (16), em Salvador (BA) e Recife (PE), onde participou do II Encontro de Gestores do Comando-Geral do Pessoal (COMGEP) e da Reunião de Comandantes do Sistema de Controle do Espaço Aéreo Brasileiro (RECOSCEA).

"Participamos de importantes encontros com Gestores do COMGEP e do DECEA. Tivemos a oportunidade de dialogar sobre as atividades desenvolvidas pela nossa Força Aérea neste ano de 2020, projetar as melhorias que buscamos para o futuro e tratar sobre o exercício da liderança com nossos Comandantes, Chefes e Diretores", ressaltou o Oficial-General.

Encontro de Gestores do COMGEP

O encontro, que ocorreu no Centro Militar de Convenções e Hospedagem da Aeronáutica (CEMCOHA), em Salvador (BA), teve início na segunda-feira (14) e se encerrou na quarta (16). O evento teve como finalidade proporcionar melhor interação para que os processos institucionais das Unidades, acerca do pessoal da Aeronáutica, estejam cada vez mais alinhados com o planejamento estratégico da Força Aérea.

O Comandante da Aeronáutica participou do encontro, acompanhado do Comandante-Geral do Pessoal da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Luis Roberto do Carmo Lourenço; do Diretor de Saúde da Aeronáutica, Major-Brigadeiro Médico José Luiz Ribeiro Miguel; do Chefe do Gabinete do Comandante da Aeronáutica, Major-Brigadeiro do Ar Pedro Luís Farcic; do Chefe do Estado-Maior do COMGEP, Major-Brigadeiro do Ar Ricardo Reis Tavares; do Diretor de Ensino da Aeronáutica, Major-Brigadeiro do Ar Marcos Vinicius Rezende Mrad; e do Diretor de Administração do Pessoal, Major-Brigadeiro do Ar Valdir Eduardo Tuckumantel Codinhoto; além de Comandantes, Chefes e Diretores de Organizações Militares.

O Comandante-Geral do Pessoal da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Luis Roberto do Carmo Lourenço, comentou sobre o encontro. "O objetivo principal do Encontro de Gestores do COMGEP é juntar experiências, na área de saúde, na área de ensino e na própria Gestão de Pessoal do Comando da Aeronáutica”, comentou.

Reunião do RECOSCEA

A reunião, no Recife (PE), contou com a participação de Diretores, Presidentes, Chefes e Comandantes das Organizações Militares (OM) subordinadas ao Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA).

Além do Comandante da Aeronáutica, estiveram presentes o Diretor-Geral do DECEA, Tenente-Brigadeiro do Ar Heraldo Luiz Rodrigues; o Chefe do Gabinete do Comandante da Aeronáutica, Major-Brigadeiro do Ar Pedro Luís Farcic; o Vice-Diretor do DECEA, Major-Brigadeiro do Ar Walcyr Josué de Castilho Araujo; além de Comandantes, Chefes e Diretores de Organizações Militares.

O Diretor-Geral do DECEA, Tenente-Brigadeiro do Ar Heraldo Luiz Rodrigues, avaliou a realização do encontro. "Reunimos todos os Comandantes da área de controle de tráfego aéreo para que fossem verificadas as ações feitas durante o ano e o planejamento que devemos adotar para chegar até o final do ano, mantendo a qualidade do serviço, utilizando os recursos da melhor maneira possível e preparando para o crescimento que certamente haverá com o retorno da atividade aérea após a crise da COVID-19", finalizou.

PORTAL PODER AÉREO


Aviação de Patrulha da FAB incorpora aeronaves remotamente pilotadas IAI Heron I


Publicada em 18/09/2020 13:33

O mês de agosto de 2020 marca a história da Aviação de Patrulha na Força Aérea Brasileira (FAB): o Primeiro Esquadrão do Sétimo Grupo de Aviação (1º/7º GAV) – Esquadrão Orungan, com sede na Ala 12, incorporou o Sistema de Aeronaves Remotamente Pilotadas (ARP) – Heron I. As modernas ARP’s, fabricadas pela Israel Aerospace Industries – IAI, denominadas na Força Aérea Brasileira como RQ-1150, são usadas por cerca de 20 países ao redor do mundo para dinamizar as operações de Inteligência, Vigilância e Reconhecimento.

A Polícia Federal do Brasil e o Comando da Aeronáutica (COMAER) firmaram um acordo de operação compartilhada de duas unidades do Heron I, proporcionando o aumento da capacidade operacional mútua. Para isso, foi publicada, em agosto de 2018, a DCA 11-114 – Diretriz de planejamento para a operação conjunta do Sistema ARP Heron, em proveito da Força Aérea Brasileira e da Polícia Federal.

Ainda nesse sentido, o Comando de Preparo (COMPREP) publicou, em 17 de outubro de 2018, a Portaria Nº 169/SCAD-30 criando o Grupo de Trabalho Sierra – GT Sierra, designando os militares responsáveis pela implantação e desenvolvimento da doutrina de operação desse vetor na Ala 12. Em novembro de 2019, ocorreu o primeiro voo da aeronave envergando a matricula da Força Aérea Brasileira – FAB 7820. A decolagem foi realizada a partir do aeródromo de Santa Cruz (SBSC), totalizando 40 minutos de voo.

Incorporação pelo Esquadrão Orungan

Em agosto de 2020, o GT-Sierra foi extinto e os seus meios materiais e recursos humanos foram incorporados ao Esquadrão Orungan. Com essa incorporação, foi ativada a Esquadrilha IVR (Inteligência, Vigilância e Reconhecimento), no 1º/7º GAV. A função da Esquadrilha será disseminar conhecimentos e doutrinas relacionados ao emprego dos sensores imageadores aeroembarcados nas aeronave P-3AM e RQ-1150 Heron I.

De acordo com o Comandante do 1º/7º GAV, Tenente-Coronel Aviador Marcelo de Carvalho Trope, o compartilhamento doutrinário entre os militares oriundos do GT-Sierra e do Esquadrão Orungan representa excelente oportunidade de desenvolvimento das atividades de Inteligência, Vigilância e Reconhecimento. “Também possibilita uma melhoria no resultado das missões e nos Produtos de Inteligência fornecidos pela Unidade Aérea”, explica.

Atualmente, o Esquadrão Orungan realiza diversas missões IVR com a aeronave P-3AM. Porém, a formação básica de seus tripulantes advém da Aviação de Patrulha. A criação de uma Esquadrilha IVR no 1º/7º GAV trará desenvolvimento do Esquadrão nessa vertente do emprego. O compartilhamento de expertises com os Oficiais e Graduados oriundos da Aviação de Reconhecimento poderá representar, inclusive, uma melhor utilização dos sensores aeroembarcados na aeronave P-3 Orion, incrementando a capacidade do Esquadrão na obtenção e interpretação de imagens, bem como auxiliando a confecção dos relatórios oriundos das missões realizadas pela Unidade.

Por outro lado, os militares que atuavam no Grupo de Trabalho Sierra passam a contar com toda a estrutura administrativa e operacional de uma Unidade Aérea. Além disso, os atuais operadores de equipamentos especiais do 1º/7º GAV também poderão ser utilizados no Quadro de Tripulantes do SARP Heron, compartilhando com os novos integrantes os conhecimentos adquiridos durante os 9 anos de operação da aeronave P-3AM no Brasil.

A-29: IAOp inicia Avaliação Operacional do Envelope Infravermelho - Poder Aéreo - Aviação Militar, Indústria Aeronáutica e de Defesa


Publicada em 18/09/2020 14:06

Processo alia conhecimento técnico e científico

O Instituto de Aplicações Operacionais (IAOp), Organização Militar subordinada ao Comando de Preparo (COMPREP) e sediada no campus do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), em São José dos Campos (SP), realiza, no período de 14 de setembro a 2 de outubro, a Avaliação Operacional (AVAOP) do Envelope Infravermelho (IR) da aeronave A-29 Super Tucano.

Uma AVAOP é um processo que alia o conhecimento técnico ao conhecimento científico, por meio do qual se desenvolvem as técnicas que serão utilizadas por forças combatentes. Trata-se de uma das principais atividades do IAOp, que também desenvolve táticas e soluções operacionais para a Força Aérea Brasileira (FAB).

Nesta avaliação, o objetivo é mensurar as emissões de calor da aeronave, Clique aqui para baixar a imagem originalque ocorrem no espectro infravermelho, para que no futuro seja possível calcular qual a probabilidade dela ser detectada por armamentos guiados por este tipo de radiação. Este cálculo, realizado pelo MAISA, algoritmo desenvolvido pelo Instituto, permitirá desenvolver táticas de navegação que aumentem a probabilidade de sobrevivência dos pilotos em cenários onde haja a presença deste tipo de armamento.

“Esta avaliação, em conjunto com medições feitas nos anos anteriores, coloca-nos um passo mais próximo do objetivo de mapear o envelope infravermelho de toda a frota da FAB, fundamental para estimar sua probabilidade de sobrevivência em ambiente hostil e para desenvolver técnicas e táticas que se contraponham às possíveis ameaças”, informou o Gerente da AVAOP, Tenente-Coronel Aviador Daniel Ferreira Manso.

Voos

No intuito de cumprir com o objetivo operacional, ocorrerão voos de segunda a sexta-feira, por três semanas, com duração entre uma e três horas. Os voos serão basicamente passagens sobre a pista de pouso que compreenderá testes diurnos, com decolagens no período da tarde (às 14 horas), e noturnos. Espera-se que as operações diárias se encerrem antes das 22 horas. Caso as condições meteorológicas estejam desfavoráveis, poderão ocorrer voos nos sábados e domingos.

Envolvimentos

Apesar de ser uma atividade do IAOp, há também o envolvimento de militares do Terceiro Esquadrão do Terceiro Grupo de Aviação (3º/3º GAV) – Esquadrão Flecha, Instituto de Pesquisas e Ensaios em Voo (IPEV), Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE), Destacamento de Controle do Espaço Aéreo de São José dos Campos (DTCEA-SJ) e supervisão da ALA 5 – Base Aérea de Campo Grande e do Comando de Preparo (COMPREP).

Esta é a segunda Avaliação Operacional conduzida pelo IAOp este ano. Anteriormente, o IAOp avaliou, junto com o Segundo Esquadrão do Décimo Grupo de Aviação (2º/10 GAV), o sistema de lançamento de cargas da aeronave SC-105 Amazonas e, no futuro, conduzirá a avaliação do IGLA-S, sistema portátil de lançamento de mísseis terra-ar guiados por infravermelho, os quais equipam as unidades de artilharia antiaérea da FAB e do Exército Brasileiro (EB), aferindo sua respectiva capacidade de detectar e engajar alvos.