NOTIMP - NOTICIÁRIO DA IMPRENSA

Capa Notimp Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil e até do mundo. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.


PORTAL AEROFLAP


FAB realiza resgate de enfermo em navio estrangeiro na costa brasileira


Agência Força Aérea | Publicada em 11/07/2020 13:05

O Esquadrão Falcão (1º/8º GAV), sediado na Ala 10, em Parnamirim (RN), resgatou, nesta sexta-feira (10), um Oficial da Marinha Mercante que estava a bordo de navio de bandeira japonesa que navega na costa brasileira.

O Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE), organização da Força Aérea Brasileira (FAB) responsável pela coordenação de missões aéreas, acionou o Esquadrão após o contato do Centro de Coordenação de Salvamento Aéreo (SALVAERO) de Recife.

Antes da decolagem, um médico do Hospital de Aeronáutica de Recife analisou as informações recebidas  pelo Centro de Coordenação de Busca e Salvamento Marítimo (SALVAMAR) sobre o estado da vítima, que apresentava quadro de apendicite aguda e precisava de intervenção cirúrgica imediata.

O navio Hercules Leader, oriundo do Japão, foi localizado a cerca de 240 km da costa brasileira, na direção da cidade de Natal (RN).

A aeronave H-36 Caracal decolou de Parnamirim (RN) e voou até a posição do navio para realizar o resgate. O helicóptero manteve o voo pairado enquanto os homens de resgate SAR (do inglês, Search and Rescue – Busca e Salvamento) desceram até o convés, imobilizaram a vítima e a içaram em uma maca.

Ao final, o Esquadrão transportou o paciente para a capital do Rio Grande do Norte para receber atendimento médico especializado. Toda a operação durou aproximadamente duas horas.

A tripulação do helicóptero, formada por dez militares, sendo dois pilotos, um mecânico, dois operadores de equipamentos, três homens de resgate, uma médica e uma enfermeira, usou trajes especiais para minimizar o risco de qualquer contaminação.

De acordo com o Comandante do 1º/8º GAV, Tentente-Coronel Délcio Claudio Santarém Junior, a pronta resposta no cumprimento da missão foi essencial, principalmente porque a intervenção cirúrgica no enfermo deveria ser imediata.

“Salvar vidas é a nossa missão precípua. Nós existimos ‘para que outros possam viver’. Estamos aqui de prontidão 24 horas por dia. E, quanto melhor for a pronta-resposta, maior é a chance do sobrevivente”, ressaltou.

Para o Sargento Gerson Cláudio Chermond Torres, homem de resgate que participou da missão, o comprometimento dos envolvidos é fundamental para uma missão de resgate como essa. O sentimento de salvar vidas é indescritível, segundo ele.

“É muito bom ver o comprometimento do Esquadrão como um todo, da preparação até a execução do resgate, o envolvimento de todos, sabendo que tem alguém precisando de apoio e esperando por esse resgate. Não tem como mensurar o sentimento que eu tenho nesse momento. Salvar vidas é o que nós nos propomos a fazer”, declarou.

O Comandante da missão, Capitão Aviador José Wellington Félix de Carvalho, destacou que a comunicação prévia com a tripulação do navio foi importante para que a missão transcorresse conforme o planejado.

“Conseguimos contato com o navio com bastante antecedência. Isso possibilitou que chegássemos mais preparados para o resgate, com uma boa ideia do que iríamos encontrar. Além disso, os treinamentos que fazemos diuturnamente, no Esquadrão, nos proporcionaram condições de realizar um resgate rápido e objetivo”, completou.

A Tenente Médica Patrícia Bastos de Aguiar Martins Costa participou da missão, acompanhando o paciente durante o voo e mantendo-o estável. Segundo ela, o quadro de infecção abdominal do resgatado era motivo de alerta.

“Quanto mais rápido o resgate de paciente que apresenta infecção abdominal, melhor será sua recuperação, pois evita-se que essa infecção se dissemine pelo resto do corpo e leve a um quadro de choque séptico”, explicou.

PREPARO

Um dos fatores fundamentais para o sucesso de qualquer missão é o preparo operacional das tripulações. Para atingir alto nível técnico e doutrinário, agindo com a pronta-resposta requerida na execução das ações, os Esquadrões da Força Aérea realizam treinamentos regulares.

Neste contexto, o Comando de Preparo (COMPREP) tem papel relevante. Como Comando Operacional encarregado de fixar os padrões de eficiência, planejar o treinamento e avaliar o desempenho das unidades subordinadas, a partir das capacidades definidas pelo Comandante da Aeronáutica, também coordena a formulação da Doutrina Aeroespacial, em consonância com as experiências adquiridas e os sistemas de armas incorporados à FAB.

FAB inaugura novo sistema de simulador de voo para instrução dos Cadetes Aviadores


Pedro Viana | Publicada em 11/07/2020 13:00

A Academia da Força Aérea (AFA), localizada em Pirassununga (SP), inaugurou, na tarde desta sexta-feira (10), um novo sistema de simulador de voo que será empregado para a instrução dos Cadetes Aviadores.

A cerimônia foi presidida pelo Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Antonio Carlos Moretti Bermudez, acompanhado do Diretor de Ensino da Aeronáutica, Major-Brigadeiro do Ar Marcos Vinicius Rezende Mrad, e do Comandante da AFA, Brigadeiro do Ar Ramiro Kirsch Pinheiro.

Também participaram do evento o Chefe do Estado-Maior da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Carlos Augusto Amaral Oliveira; o Comandante de Operações Aeroespaciais, Tenente-Brigadeiro do Ar Jeferson Domingues de Freitas; o Comandante-Geral de Apoio da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Carlos de Almeida Baptista Junior; o Secretário de Economia, Finanças e Administração da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Marcelo Kanitz Damasceno; o Comandante-Geral do Pessoal da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Luis Roberto do Carmo Lourenço; o Diretor-Geral do Departamento de Controle do Espaço Aéreo, Tenente-Brigadeiro do Ar Heraldo Luiz Rodrigues; o Chefe de Logística e Mobilização do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas, Tenente-Brigadeiro do Ar João Tadeu Fiorentini; Comandantes, Chefes e Diretores de Organizações Militares da Aeronáutica

“Este é mais um salto na formação dos nossos cadetes aviadores. Estamos familiarizados com outro tipo de simulador que complementa a instrução aérea e, sem dúvida, o T-200 chega para aprimorar a instrução ministrada em voo, proporcionando melhor preparo e excelente treinamento aos nossos cadetes”, destacou o Tenente-Brigadeiro Bermudez.

O simulador T-2000 possibilita o treinamento de diversos tipos de missões e aplicação dos conceitos primários, como teoria de voo e regras de tráfego aéreo, até os conceitos mais avançados de pilotagem, a exemplo de manobras e acrobacias, voo de formatura, voo noturno e voos de navegação visual e por instrumento.

Desse modo, um único equipamento acompanhará o Cadete Aviador desde o início do voo no Segundo Esquadrão de Instrução Aérea até o término do Curso de Formação de Oficiais Aviadores, no quarto ano.

“A expectativa é que esta ferramenta auxilie na formação dos Aviadores da Força Aérea Brasileira, ajudando a entregar profissionais cada vez mais preparados e experientes, com menor taxa de atrito na formação. Em suma, ocorrerá aumento na qualidade com redução de custos, bastando acompanharmos as evoluções tecnológicas que se apresentam a cada dia no universo da aviação”, ressalta o Comandante da AFA.

Por ter um software altamente customizável, o T-2000 proporciona a simulação não só do T-27 Tucano, mas também do T-25 Universal, aeronaves com as quais o Cadete tem contato na AFA. Com a tecnologia de Force Feedback, o mesmo hardware simula as diferenças de comandos entre os projetos.

Desenvolvido em uma parceria da AFA com o Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), o projeto apresenta outro grande diferencial: o seu baixo custo.

A aquisição está estimada em menos de 10% do dispêndio com os produtos oferecidos atualmente no mercado, o que foi possibilitado pela escolha individual de cada componente de software e hardware, viabilizando a utilização de diversas marcas consolidadas e testadas ao longo dos anos, com maior concorrência de preços.

“O baixo custo estende-se também à manutenção dos equipamentos, semelhantes aos que entusiastas do voo simulado adquirem para uso individual. Esta semelhança possibilita, inclusive, a instalação do mesmo software em equipamentos pessoais para uso e estudo em locais diversos, mesmo que num hardware menos capaz”, explica um dos idealizadores do projeto, o Major Aviador Alexandre Ribeiro Deliberador.

Além disso, a capacidade da conexão em rede entre os simuladores proporciona não só a operação de diversas aeronaves simuladas em um mesmo espaço, mas também a presença de um controlador de voo em estação dedicada, trazendo ainda mais realismo.

Histórico

Ao longo dos últimos anos, os simuladores de voo passaram por muitos avanços, que proporcionaram melhorias significativas no treinamento dos pilotos, como o auxílio na formação com redução de custos e aumento na segurança de voo.

Percebendo a importância dessa ferramenta, desde a década de 1980, a AFA aplica a instrução aérea também com o voo simulado, especificamente para a aeronave T-27. O atual simulador proporciona o treinamento dos procedimentos normais e de emergência, além da prática do voo por instrumentos.

Nesses mais de 30 anos de emprego operacional do simulador, ocorreram muitas evoluções tecnológicas que permitiram treinamentos mais avançados com esta ferramenta. Assim surgiu a ideia do T-2000, um simulador mais moderno que comporta constantes atualizações, sem a necessidade de aquisição por completo de novos projetos, já que novas melhorias podem ser aplicadas individualmente.

FAB transporta em vários voos materiais e profissionais de saúde em apoio à Operação COVID-19


Agência Força Aérea | Publicada em 11/07/2020 14:54

A Força Aérea Brasileira (FAB), em apoio à Operação COVID-19, realizou entre o domingo (5) e esta quarta-feira (8), missões de Transporte Aéreo Logístico. 

As aeronaves KC-390 Millennium, C-130 Hércules e C-97 Brasília transportaram profissionais de saúde que atuam no enfrentamento ao novo Coronavírus, além de equipamentos hospitalares para a Região Norte.

As missões foram coordenadas pelo Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE), junto ao Centro de Operações Conjuntas (COC) do Ministério da Defesa, em apoio ao Ministério da Saúde.

Brasília – Manaus

Um KC-390 Millennium, pertencente ao Primeiro Grupo de Transporte de Tropa (1º GTT) – Esquadrão Zeus, decolou de Brasília (DF), nesta quarta-feira (08), carregado com cerca de 1,8 tonelada de insumos hospitalares e álcool em gel. O FAB 2853 pousou em Manaus (AM), onde desembarcou os materiais que serão usados no combate à pandemia do novo Coronavírus nas capitais do Amazonas e do Amapá.

O Comandante da aeronave, Major Aviador Bruno Américo Pereira, destacou a importância da atuação da FAB na Operação COVID-19. “Nesse período de enfrentamento à pandemia, as aeronaves KC-390 ratificam seu importante papel para a sociedade brasileira”, disse. 

Rio de Janeiro – Boa Vista

Nesta terça-feira (07), uma aeronave C-130 Hércules, pertencente ao Primeiro Esquadrão do Primeiro Grupo de Transporte (1°/1° GT) – Esquadrão Gordo, transportou 8,5 toneladas de materiais entre o Rio de Janeiro (RJ) e Boa Vista (RR). 

O FAB 2477 decolou da Ala 11 – Base Aérea do Galeão, no Rio de Janeiro, e pousou na Ala 7 – Base Aérea de Boa Vista. Ao todo, foram transportadas 142 camas que serão utilizadas pelo Hospital de Campanha de Roraima.

O Comandante da aeronave, Capitão Aviador Roberto Lopes Gomes, falou sobre a sensação de cumprir a missão em apoio à Operação COVID-19. “Levar ajuda aos pontos mais distantes da Nação e apoiar a integração do território brasileiro sempre foi motivo de vibração dos integrantes do Esquadrão Gordo”, declarou.

O Loadmaster (Mestre de Cargas) do FAB 2477, Sargento Daniel Pereira Alfano da Silva, disse que esta é a segunda missão que participa em apoio às atividades na Região Amazônica. “Muita disposição em participar desse momento. Nos formamos para sempre estar à disposição da Força Aérea”, comentou.

Manaus – São Gabriel da Cachoeira

No domingo (05), um C-97 Brasília, pertencente ao Sétimo Esquadrão de Transporte Aéreo (7º ETA) – Esquadrão Cobra, decolou da Ala 8 – Base Aérea de Manaus (AM), com destino a São Gabriel da Cachoeira (AM). O FAB 2006 transportou médicos do Exército Brasileiro (EB) para atuarem no município amazonense.

O Comandante da aeronave e do Esquadrão Cobra, Tenente-Coronel Aviador Rodrigo Fonseca da Silva Rosa, destacou a participação na missão. “É com orgulho que transportamos os profissionais da área de saúde que atuam na Operação COVID-19”, salienta.

Boa Vista – Brasília

Nesta segunda-feira (06), o KC-390 Millennium, pertencente ao Primeiro Grupo de Transporte de Tropa (1º GTT) – Esquadrão Zeus, decolou da Ala 7 – Base Aérea de Boa Vista (RR), com profissionais de saúde que prestaram assistência às comunidades indígenas em Roraima.

O destino do FAB 2853 foi a Ala 1 – Base Aérea de Brasília (DF) e também a Base Aérea de São Paulo.

Um dos pilotos da aeronave, Major Aviador Daniel Elias Souza, ressaltou que o KC-390 Millennium tem potencializado o apoio logístico durante a operação. “A aeronave tem sido fundamental  para transportar com rapidez e segurança materiais e profissionais para atuarem frente à COVID-19”, garante.

Operação COVID-19

A Operação COVID-19, coordenada pelo Ministério da Defesa, mobiliza militares por todo o Brasil. Homens e mulheres das Forças Armadas atuam no enfrentamento à pandemia do novo Coronavírus, em apoio à população.

As ações envolvem descontaminação de espaços públicos, doações de sangue, transporte de medicamentos e equipamentos de saúde, distribuição de kits de alimentos para pessoas de baixa renda, entre outras.

Na execução dessas atividades, os militares atuam organizados em 10 Comandos Conjuntos que cobrem todo o território nacional, bem como no Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE). Esses Comandos reúnem militares das três Forças (Marinha, Exército e Aeronáutica), que desenvolvem esforços no cumprimento das missões.

DEFESA AÉREA & NAVAL


H225M da FAB realiza resgate de enfermo em navio estrangeiro na costa brasileira


Agência Força Aérea | Publicada em 11/07/2020 13:33

O Esquadrão Falcão (1º/8º GAV), sediado na Ala 10, em Parnamirim (RN), resgatou, nesta sexta-feira (10), um Oficial da Marinha Mercante que estava a bordo de navio de bandeira japonesa que navega na costa brasileira. O Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE), organização da Força Aérea Brasileira (FAB) responsável pela coordenação de missões aéreas, acionou o Esquadrão após o contato do Centro de Coordenação de Salvamento Aéreo (SALVAERO) de Recife.

Antes da decolagem, um médico do Hospital de Aeronáutica de Recife analisou as informações recebidas pelo Centro de Coordenação de Busca e Salvamento Marítimo (SALVAMAR) sobre o estado da vítima, que apresentava quadro de apendicite aguda e precisava de intervenção cirúrgica imediata. O navio Hercules Leader, oriundo do Japão, foi localizado a cerca de 240 km da costa brasileira, na direção da cidade de Natal (RN).

A aeronave H-36 Caracal decolou de Parnamirim (RN) e voou até a posição do navio para realizar o resgate. O helicóptero manteve o voo pairado enquanto os homens de resgate SAR (do inglês, Search and Rescue – Busca e Salvamento) desceram até o convés, imobilizaram a vítima e a içaram em uma maca. Ao final, o Esquadrão transportou o paciente para a capital do Rio Grande do Norte para receber atendimento médico especializado. Toda a operação durou aproximadamente duas horas.

A tripulação do helicóptero, formada por dez militares, sendo dois pilotos, um mecânico, dois operadores de equipamentos, três homens de resgate, uma médica e uma enfermeira, usou trajes especiais para minimizar o risco de qualquer contaminação.

De acordo com o Comandante do 1º/8º GAV, Tentente-Coronel Délcio Claudio Santarém Junior, a pronta resposta no cumprimento da missão foi essencial, principalmente porque a intervenção cirúrgica no enfermo deveria ser imediata. “Salvar vidas é a nossa missão precípua. Nós existimos ‘para que outros possam viver’. Estamos aqui de prontidão 24 horas por dia. E, quanto melhor for a pronta-resposta, maior é a chance do sobrevivente”, ressaltou.

Para o Sargento Gerson Cláudio Chermond Torres, homem de resgate que participou da missão, o comprometimento dos envolvidos é fundamental para uma missão de resgate como essa. O sentimento de salvar vidas é indescritível, segundo ele. “É muito bom ver o comprometimento do Esquadrão como um todo, da preparação até a execução do resgate, o envolvimento de todos, sabendo que tem alguém precisando de apoio e esperando por esse resgate. Não tem como mensurar o sentimento que eu tenho nesse momento. Salvar vidas é o que nós nos propomos a fazer”, declarou.

O Comandante da missão, Capitão Aviador José Wellington Félix de Carvalho, destacou que a comunicação prévia com a tripulação do navio foi importante para que a missão transcorresse conforme o planejado. “Conseguimos contato com o navio com bastante antecedência. Isso possibilitou que chegássemos mais preparados para o resgate, com uma boa ideia do que iríamos encontrar. Além disso, os treinamentos que fazemos diuturnamente, no Esquadrão, nos proporcionaram condições de realizar um resgate rápido e objetivo”, completou.

A Tenente Médica Patrícia Bastos de Aguiar Martins Costa participou da missão, acompanhando o paciente durante o voo e mantendo-o estável. Segundo ela, o quadro de infecção abdominal do resgatado era motivo de alerta. “Quanto mais rápido o resgate de paciente que apresenta infecção abdominal, melhor será sua recuperação, pois evita-se que essa infecção se dissemine pelo resto do corpo e leve a um quadro de choque séptico”, explicou.

PREPARO

Um dos fatores fundamentais para o sucesso de qualquer missão é o preparo operacional das tripulações. Para atingir alto nível técnico e doutrinário, agindo com a pronta-resposta requerida na execução das ações, os Esquadrões da Força Aérea realizam treinamentos regulares. Neste contexto, o Comando de Preparo (COMPREP) tem papel relevante. Como Comando Operacional encarregado de fixar os padrões de eficiência, planejar o treinamento e avaliar o desempenho das unidades subordinadas, a partir das capacidades definidas pelo Comandante da Aeronáutica, também coordena a formulação da Doutrina Aeroespacial, em consonância com as experiências adquiridas e os sistemas de armas incorporados à FAB.

AFA realiza solenidade de entrega de espadins a 199 cadetes


Agência Força Aérea | Publicada em 11/07/2020 13:50

A Academia da Força Aérea (AFA) realizou, na manhã desta sexta-feira (10), em Pirassununga (SP), a solenidade de entrega de espadins a 199 novos cadetes, integrantes do Primeiro Esquadrão, que ingressaram na AFA no início de 2020. A cerimônia foi presidida pelo Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Antonio Carlos Moretti Bermudez, acompanhado do Comandante da AFA, Brigadeiro do Ar Ramiro Kirsch Pinheiro.

Estavam presentes no evento, ainda, o Chefe do Estado-Maior da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Carlos Augusto Amaral Oliveira; o Comandante de Operações Aeroespaciais, Tenente-Brigadeiro do Ar Jeferson Domingues de Freitas; o Comandante-Geral de Apoio da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Carlos de Almeida Baptista Junior; o Secretário de Economia, Finanças e Administração da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Marcelo Kanitz Damasceno; o Comandante-Geral do Pessoal da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Luis Roberto do Carmo Lourenço; o Diretor-Geral do Departamento de Controle do Espaço Aéreo, Tenente-Brigadeiro do Ar Heraldo Luiz Rodrigues; o Chefe de Logística e Mobilização do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas, Tenente-Brigadeiro do Ar João Tadeu Fiorentini; o Diretor de Ensino da Aeronáutica, Major-Brigadeiro do Ar Marcos Vinicius Rezende Mrad; Comandantes, Chefes e Diretores de Organizações Militares da Aeronáutica.

O significado do espadim

O espadim é o símbolo do cadete e o acompanha até a conclusão do curso. Nos meses iniciais, a rotina é intensa, envolvendo formação e doutrina militar, bem como o salto de emergência, um dos grandes desafios enfrentados nessa fase.

O Comandante da Aeronáutica falou sobre o compromisso dos 199 cadetes e o significado da cerimônia. “É uma data bastante importante porque marca o início de uma carreira. Após quatro anos, com a declaração de Aspirantes, esses jovens, que hoje ingressam como Cadetes do primeiro ano, recebem a espada de Oficial para os desafios e para cumprirem a missão como Oficiais nas diversas atividades que irão desempenhar na Força Aérea. Como Comandante da FAB, congratulo-me a eles e os parabenizo por terem recebido o espadim de Cadete da Aeronáutica”, concluiu o Tenente-Brigadeiro Bermudez.

Segundo o Comandante da AFA, Brigadeiro do Ar Ramiro Kirsch Pinheiro, o espadim representa um importante degrau na formação do Cadete da Aeronáutica. “Esse é o primeiro grande marco da carreira do Cadete como Oficial. O espadim representa coragem, lealdade, honra, dever e Pátria. Isso vai realmente torná-lo um grande Oficial no futuro”, frisou.

A solenidade deste ano foi marcada pelas adequações necessárias à prevenção ao contágio pelo novo Coronavírus. Não houve a presença de convidados e familiares, o uso de máscara foi obrigatório para todos e os Cadetes estavam com espaçamento duplo na formatura. Além disso, o evento foi transmitido on line pelo canal da Academia no YouTube. Ao final, houve, ainda, uma apresentação da Esquadrilha da Fumaça.

“Mesmo diante de um cenário tão sensível como o da atual pandemia, conseguimos adaptar a cerimônia para que tudo ocorresse dentro das normas sanitárias exigidas e também para que nossos cadetes não ficassem sem este importante momento em suas carreiras”, explicou o Comandante do Primeiro Esquadrão, Capitão de Infantaria Fernando Braga Ferrão Galante.

O grupo é composto por 199 cadetes, sendo 134 Aviadores, 42 Intendentes e 18 de Infantaria. Além deles, cinco são oriundos de Nações Amigas: Senegal, República Dominicana, Bolívia, Honduras e El Salvador. A turma recebeu o nome Orthrus, Deus da mitologia grega que era um cão bicéfalo, considerado o cão de guarda mais feroz da antiguidade, tendo uma serpente como cauda.

Segundo o Cadete de Infantaria Guilherme Maciel, a cerimônia foi bastante emocionante. “É importante pra gente receber o espadim porque simboliza tudo que a gente lutou para chegar até aqui. Simboliza tudo o que a gente tem que honrar durante a nossa carreira”, completou.

De acordo com a Cadete Intendente Milena Zambaldi do Nascimento Lara, é uma grande alegria receber o espadim. “Ele indica a superação de muitos desafios e um momento esperado até hoje”, comemorou.

Já para o Cadete Aviador Octavio de Castro Stallone, receber o espadim é um momento muito esperado por todos os Cadetes. “Temos o espadim como a concretização de se tornar verdadeiramente um Cadete da Força Aérea, que é mais um degrau rumo ao Oficialato”, pontuou.

OUTRAS MÍDIAS


DEFESA TV - Forças Armadas dão continuidade ao apoio a órgãos estaduais e na desinfecção de locais públicos


Da Redação | Publicada em 11/07/2020 15:00

O 12º Regimento de Cavalaria Mecanizado (12° R C Mec) realizou o transporte de neurobloqueadores. Trata-se de medicamento essencial para pacientes em recuperação do coronavírus, da fronteira com o Uruguai até o hospital da Santa Casa de Caridade de Rio Grande, Rio Grande do Sul.

Em Pato Branco, Paraná, o 16º Esquadrão de Cavalaria Mecanizado (16° Esqd C Mec) apoiou a prefeitura no combate à pandemia e higienizou locais de grande circulação.

Em ação semelhante, o Comando Conjunto Rio Grande do Norte e Paraíba, composto pelo Comando do 3º Distrito Naval, Exército e Força Aérea, realizou a desinfecção da Unidade Básica de Saúde Maria Rufino de Souza, do Centro Clínico de Saúde e da Secretaria Municipal de Caiçara do Norte, Rio Grande do Norte.

Em outra frente contra a Covid-19, militares do Hospital de Aeronáutica de Belém abasteceram o banco de sangue do hemocentro.

Homenagem

O projeto Notas do Coração usa a música para homenagear os profissionais da saúde que estão na linha de frente lutando contra o coronavírus. A ideia foi do Comando da 4ª Região Militar (4ª RM), logo no início da operação Covid-19.

Desde então, a banda de música da 4ª RM já passou por mais de dez hospitais de Belo Horizonte, Minas Gerais, e diversas casas de repouso para idosos que, por conta da crise de saúde, não podem receber visitas.

Outras seis bandas militares do estado mineiro e o cantor Rogério Flausino, da banda Jota Quest, gravaram vídeo com mensagem de esperança à população com a música “Dias melhores”.

Ação social

O 7º Batalhão de Engenharia de Construção e a Agência Fluvial de Boca do Acre apoiaram a Funai na distribuição de 450 cestas básicas em unidades escolares nas Terras Indígenas Apurinã, Boca do Acre e Jamamadi do Lourdes, Amazonas, e Cajueiro, Roraima.

Em Duque de Caxias, Rio de Janeiro, o 1º Batalhão de Guardas, em parceria com a prefeitura e Serviço Social do Comércio (SESC), realizou duas ações comunitárias com o intuito de mitigar os impactos causados pela pandemia do novo coronavírus.

PODER AÉREO - Operação COVID-19: FAB transporta materiais e profissionais de saúde


Agência Força Aérea | Publicada em 11/07/2020

As aeronaves KC-390 Millennium, C-130 Hércules e C-97 Brasília cumpriram as missões entre o domingo (05) e esta quarta-feira (08)

A Força Aérea Brasileira (FAB), em apoio à Operação COVID-19, realizou entre o domingo (5) e esta quarta-feira (8), missões de Transporte Aéreo Logístico. As aeronaves KC-390 Millennium, C-130 Hércules e C-97 Brasília transportaram profissionais de saúde que atuam no enfrentamento ao novo Coronavírus, além de equipamentos hospitalares para a Região Norte. As missões foram coordenadas pelo Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE), junto ao Centro de Operações Conjuntas (COC) do Ministério da Defesa, em apoio ao Ministério da Saúde.

Brasília – Manaus

Um KC-390 Millennium, pertencente ao Primeiro Grupo de Transporte de Tropa (1º GTT) – Esquadrão Zeus, decolou de Brasília (DF), nesta quarta-feira (08), carregado com cerca de 1,8 tonelada de insumos hospitalares e álcool em gel. O FAB 2853 pousou em Manaus (AM), onde desembarcou os materiais que serão usados no combate à pandemia do novo Coronavírus nas capitais do Amazonas e do Amapá.

O Comandante da aeronave, Major Aviador Bruno Américo Pereira, destacou a importância da atuação da FAB na Operação COVID-19. “Nesse período de enfrentamento à pandemia, as aeronaves KC-390 ratificam seu importante papel para a sociedade brasileira”, disse.

Rio de Janeiro – Boa Vista

Nesta terça-feira (07), uma aeronave C-130 Hércules, pertencente ao Primeiro Esquadrão do Primeiro Grupo de Transporte (1°/1° GT) – Esquadrão Gordo, transportou 8,5 toneladas de materiais entre o Rio de Janeiro (RJ) e Boa Vista (RR). O FAB 2477 decolou da Ala 11 – Base Aérea do Galeão, no Rio de Janeiro, e pousou na Ala 7 – Base Aérea de Boa Vista. Ao todo, foram transportadas 142 camas que serão utilizadas pelo Hospital de Campanha de Roraima.

O Comandante da aeronave, Capitão Aviador Roberto Lopes Gomes, falou sobre a sensação de cumprir a missão em apoio à Operação COVID-19. “Levar ajuda aos pontos mais distantes da Nação e apoiar a integração do território brasileiro sempre foi motivo de vibração dos integrantes do Esquadrão Gordo”, declarou.

O Loadmaster (Mestre de Cargas) do FAB 2477, Sargento Daniel Pereira Alfano da Silva, disse que esta é a segunda missão que participa em apoio às atividades na Região Amazônica. “Muita disposição em participar desse momento. Nos formamos para sempre estar à disposição da Força Aérea”, comentou.

Manaus – São Gabriel da Cachoeira

No domingo (05), um C-97 Brasília, pertencente ao Sétimo Esquadrão de Transporte Aéreo (7º ETA) – Esquadrão Cobra, decolou da Ala 8 – Base Aérea de Manaus (AM), com destino a São Gabriel da Cachoeira (AM). O FAB 2006 transportou médicos do Exército Brasileiro (EB) para atuarem no município amazonense.

O Comandante da aeronave e do Esquadrão Cobra, Tenente-Coronel Aviador Rodrigo Fonseca da Silva Rosa, destacou a participação na missão. “É com orgulho que transportamos os profissionais da área de saúde que atuam na Operação COVID-19”, salienta.

Boa Vista – Brasília

Nesta segunda-feira (06), o KC-390 Millennium, pertencente ao Primeiro Grupo de Transporte de Tropa (1º GTT) – Esquadrão Zeus, decolou da Ala 7 – Base Aérea de Boa Vista (RR), com profissionais de saúde que prestaram assistência às comunidades indígenas em Roraima. O destino do FAB 2853 foi a Ala 1 – Base Aérea de Brasília (DF) e também a Base Aérea de São Paulo.

Um dos pilotos da aeronave, Major Aviador Daniel Elias Souza, ressaltou que o KC-390 Millennium tem potencializado o apoio logístico durante a operação. “A aeronave tem sido fundamental para transportar com rapidez e segurança materiais e profissionais para atuarem frente à COVID-19”, garante.

Operação COVID-19

A Operação COVID-19, coordenada pelo Ministério da Defesa, mobiliza militares por todo o Brasil. Homens e mulheres das Forças Armadas atuam no enfrentamento à pandemia do novo Coronavírus, em apoio à população. As ações envolvem descontaminação de espaços públicos, doações de sangue, transporte de medicamentos e equipamentos de saúde, distribuição de kits de alimentos para pessoas de baixa renda, entre outras.

Na execução dessas atividades, os militares atuam organizados em 10 Comandos Conjuntos que cobrem todo o território nacional, bem como no Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE). Esses Comandos reúnem militares das três Forças (Marinha, Exército e Aeronáutica), que desenvolvem esforços no cumprimento das missões.