NOTIMP - NOTICIÁRIO DA IMPRENSA

Capa Notimp Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil e até do mundo. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.


AGÊNCIA BRASIL


Bolsonaro acompanha embarque de missão brasileira a Beirute

Capital libanesa foi fortemente afetada por uma explosão há 8 dias

Andreia Verdélio | Publicada em 12/08/2020 09:16

O presidente Jair Bolsonaro acompanhou hoje (12), na Base Aérea de São Paulo, em Guarulhos (SP), a partida da comitiva brasileira em missão especial a Beirute, no Líbano. O governo brasileiro envia ajuda humanitária ao país, em resposta às graves explosões que atingiram o porto da capital libanesa, em 4 de agosto. O retorno da comitiva está previsto para o próximo sábado (15).

A aeronave KC-390, da Força Aérea Brasileira (FAB), foi carregada com 6 toneladas de materiais, entre medicamentos, equipamentos de saúde e alimentos, doados pelo Ministério da Saúde e pela comunidade libanesa no Brasil. Outro avião da FAB, o Embraer 190, levará os integrantes da comitiva, entre eles o ex-presidente Michel Temer, que é filho de libaneses e chefia a comitiva, os senadores Nelson Trad Filho e Luiz Pastore, o secretário de Assuntos Estratégicos da Presidência da República, Flávio Viana Rocha, e o presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf.

As duas aeronaves decolaram de São Paulo rumo a Fortaleza, no Ceará, onde será realizado o primeiro intervalo técnico. Na sequência, elas seguem para a Ilha do Sal, em Cabo Verde, e prosseguem para Valência, na Espanha. Só então decolam rumo a Beirute, com chegada prevista para a tarde de amanhã (13).

Além da missão especial humanitária, o governo brasileiro apoia o país por meio do Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres (Cenad) e do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) que continuam colaborando na elaboração de mapas com imagens de satélites de Beirute, para as atividades de mapeamento emergencial pós-desastre.

Explosão

As explosões na região portuária de Beirute foram causadas por problemas no armazenamento de cerca de 2.750 toneladas de nitrato de amônio, substância usada na produção de explosivos e fertilizantes. O evento causou pânico e destruição na capital libanesa e deixou mais de cem pessoas mortas e milhares de feridos e desabrigados, muitos com queimaduras graves. O impacto da maior explosão chegou a ser sentido no Chipre, a mais de 200 quilômetros da costa libanesa.

O porto de Beirute era o principal local de armazenamento de grãos do país e a explosão deixou os libaneses com menos de um mês em reservas de alimentos. O Líbano possui 6,8 milhões de habitantes.

A tragédia ocorreu em meio a uma crescente crise econômica e divisões internas no país. Na segunda-feira (10), o primeiro-ministro do Líbano, Hassan Diab, anunciou a renúncia de seu governo após protestos públicos contra os líderes do país.

Em pronunciamento, Diab afirmou que a detonação de material altamente explosivo que estava armazenado no porto da capital por sete anos foi "resultado de corrupção endêmica". Vários ministros também já haviam renunciado no fim de semana.

 

MINISTÉRIO DA DEFESA


Aviões da missão humanitária brasileira decolam de São Paulo com materiais de saúde e alimentos para o Líbano


Capitão-tenente Fabrício Costa | Publicada em 12/08/2020 15:30

Guarulhos (SP), 12/08/2020 - Dois aviões da missão humanitária brasileira, um KC-390 e um Embraer-190 (VC-2), decolaram, nesta quarta-feira (12), às 11h18, de Guarulhos (SP) rumo a Beirute. Conforme decisão do Presidente Jair Bolsonaro, o governo brasileiro doará 6 toneladas de materiais de saúde e alimentos ao Líbano, após a grande explosão que destruiu o Porto de Beirute. A operação é coordenada pelos Ministérios da Defesa, das Relações Exteriores e da Saúde.

Antes das aeronaves da Força Aérea Brasileira (FAB) decolarem da Base Aérea de São Paulo, houve cerimônia de despedida das tripulações e da comitiva chefiada pelo ex-Presidente Michel Temer, filho de libaneses.

O Presidente da República, Jair Bolsonaro, ressaltou a importância da missão humanitária brasileira. “O que nós poderemos oferecer, vindo em grande parte da comunidade libanesa, é de coração. Esse evento marca ainda mais nossa aproximação com o Líbano. Os nossos países não abrem mão de democracia e de liberdade. Onde um ser humano precisar de ajuda, nós faremos o que for possível”, destacou.

“Gostaria de expressar os meus mais sinceros agradecimentos. Agradecemos o apoio e a ajuda. Somos países irmãos em lados opostos do mundo. Podem ter certeza que o Líbano nunca mais vai esquecer a generosidade desse grande país que abriga milhões de libaneses”, afirmou.

O ex-Presidente Michel Temer expressou seus sentimentos por ter sido designado chefe da missão humanitária brasileira. “Estou agradecendo em nome dos meus pais, que já faleceram há muito tempo. Mas eles estão acompanhando essa cerimônia e estão aplaudindo. Não se trata apenas de uma relação institucional, mas pessoal. Eu sou da primeiríssima geração de libaneses no Brasil. Meus pais casaram-se no Líbano. Tiveram três filhos lá e mais cinco aqui e eu sou o último deles”, lembrou.

O governo brasileiro, por meio do Ministério da Saúde, e a comunidade libanesa doaram medicamentos e insumos básicos de saúde, como antibióticos, corticóides, analgésicos, ataduras, seringas e catéteres. Cerca de 100 mil máscaras cirúrgicas, 300 ventiladores pulmonares e alimentos também serão enviados para aquele país.

O Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres (CENAD) e o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) continuam colaborando na elaboração de mapas com imagens satelitais de Beirute, utilizando o novo satélite brasileiro CBERS-4A. Além das capacidades dos CBERS anteriores, esse possui mais uma câmera, com resolução de dois metros por pixel, que será muito útil nas atividades de mapeamento emergencial pós-desastres.

Antes de chegar a Beirute, as duas aeronaves pousam em Fortaleza (CE), onde será realizado o primeiro intervalo técnico. Em seguida, o KC-390 e o Embraer 190 (VC-2) passam pela Ilha do Sal, em Cabo Verde, e por Valência, na Espanha. A chegada no Líbano está prevista para a tarde desta quinta-feira (13/08). No total, cada aeronave fará cerca de 30 horas de voo.

Fotos: Suboficial Alexandre Manfrim                             

 

PORTAL AEROFLAP


Combate a incêndios no Pantanal: Aeronaves da FAB continuam prestando apoio


Agência Força Aérea | Publicada em 12/08/2020 09:42

O combate a incêndios que atingem o Pantanal no Mato Grosso (MT) e no Mato Grosso do Sul (MS), desde o dia 27 de julho, continua contando com o apoio das aeronaves da Força Aérea Brasileira (FAB). As aeronaves C-130 Hércules e H-60L Black Hawk realizam missões de Combate a Incêndio em Voo e Transporte Aéreo Logístico na região, durante a Operação Pantanal, deflagrada pelo Ministério da Defesa. As Forças Armadas estão empregando aeronaves no combate a incêndios e atuam em parceria com agências federais e estaduais, por conta das queimadas na região.

O C-130 Hércules, operado pelo Primeiro Esquadrão do Primeiro Grupo de Transporte (1°/1° GT) – Esquadrão Gordo, realizou, entre os dias 3 e 4 de agosto, cinco saídas. A aeronave está operando a partir da Ala 5 – Base Aérea de Campo Grande e utiliza o sistema de combate a incêndio MAFFS (do inglês, Modular Airborne Fire Fighting System). O equipamento conta com dois tubos que projetam água pela porta traseira do avião, a uma altura aproximada de 150 pés (cerca de 46 metros).

Já o H-60L Black Hawk, operado pelo Quinto Esquadrão do Oitavo Grupo de Aviação (5º/8º GAV) – Esquadrão Pantera, estava engajado nas missões a partir do Aeroporto de Corumbá até o dia 7 de agosto, atuando no transporte de brigadistas do Corpo de Bombeiros do Mato Grosso e do Mato Grosso do Sul, Fuzileiros Navais da Marinha do Brasil e profissionais do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA) até os locais das chamas. 

Com a diminuição dos focos de incêndio na região de Corumbá, a Operação Pantanal foi deslocada para o município de Poconé (MT), no sábado (8), onde as queimadas estavam intensas. No final de semana, o H-60L realizou duas saídas na região para contribuir com a diminuição das chamas que atingem reservas ecológicas e fazendas locais.

“É uma experiência muito boa poder aplicar o nosso conhecimento para ajudar a sociedade brasileira e, sobretudo, poder proteger reservas ecológicas no Pantanal, a exemplo de Poconé, no Mato Grosso”, declarou um dos pilotos do H-60 Black Hawk, Tenente Aviador Danilo Correa Alves da Silva.

Operação Pantanal

O Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE), Organização da FAB responsável pelo emprego das aeronaves, realiza a coordenação junto ao Ministério da Defesa (MD), que atendeu à solicitação do Governo do Mato Grosso do Sul. Para cumprir a demanda, o MD estabeleceu um Centro de Coordenação no Comando do 6º Distrito Naval, na cidade de Ladário (MS). Também participam das ações helicópteros da Marinha do Brasil e do Exército Brasileiro.

Fonte: FAB     Fotos: Marinha do Brasil e Tenentes Danilo e Josué/ 5º/8º GAV

Comandante da Aeronáutica participa de audiência com Comandante da Air Force Southern


Agência Força Aérea | Publicada em 12/08/2020 09:43

O Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Antonio Carlos Moretti Bermudez participou, nesta terça-feira (11), de uma audiência por meio de videoconferência com o Comandante da 12ª Força Aérea (Air Force Southern) da Força Aérea dos Estados Unidos da América (USAF), Major General Andrew A. Croft. O objetivo da reunião foi tratar de assuntos correlatos às instituições e estreitar o relacionamento entre as Forças. 

O Tenente-Brigadeiro Bermudez destacou que a audiência reforçou a disposição da Força Aérea Brasileira (FAB) em manter e incrementar os intercâmbios operacionais com aquele país. “Por força da pandemia do novo Coronavírus não pudemos participar de alguns exercícios conjuntos que estavam previstos, mas manifestamos nossa intenção em continuar com todas essas parcerias”, destacou. 

O Major General Croft enalteceu, ainda, os intercâmbios que se intensificaram nos últimos anos também na área de ensino e ressaltou a qualidade dos Oficiais da Força Aérea Brasileira que participam de iniciativas nesse campo nos Estados Unidos. 

Participaram, também, da videoconferência, o Chefe da Segunda Subchefia do Estado-Maior da Aeronáutica (EMAER), Brigadeiro do Ar Rodrigo Fernandes Santos; o Chefe da Seção de Adidos da Segunda Subchefia do EMAER, Coronel Aviador Luiz Francisco Tolosa; e o Chefe da Seção de Cooperação Militar Internacional da Segunda Subchefia do EMAER, Coronel Aviador Max Luiz da Silva Barreto. 

Fonte: Força Aérea Brasileira   Fotos: Sargento Bianca Viol / CECOMSAER

Esquadrão Harpia encerra Exercício Técnico Tiro Lateral na Serra do Cachimbo, no Pará


Redação | Publicada em 12/08/2020 09:46

A bordo dos helicópteros H-60 Black Hawk, o Sétimo Esquadrão do Oitavo Grupo de Aviação (7°/8° GAV) – Esquadrão Harpia concluiu, neste sábado (8), o Exercício Técnico Tiro Lateral. O adestramento ocorreu no Campo de Provas Brigadeiro Velloso (CPBV), localizado em Novo Progresso, no sul do Pará, próximo a divisa com Mato Grosso, e teve início no dia 24 de julho.

O Exercício Técnico iniciou com tiro lateral no estande, passou para voo de formação e finalizou com o treinamento de Busca e Salvamento em Combate (CSAR, sigla em inglês para Combat Search And Rescue). A tripulação realizou voos diurnos e noturnos, para adaptação e formação de militares, com uso de óculos de visão noturna (NVG, do inglês Night Vision Goggles).

Os tripulantes realizaram o adestramento das táticas e técnicas de emprego armado em alvo terrestre, com uso das metralhadoras laterais Minigun M-134, calibre 7.62mm, com cadência de 3 mil tiros por minuto.

Em uma das ações do Exercício, os tripulantes embarcaram em dois helicópteros para o resgate de um evasor. Para tanto, sobrevoaram o trajeto até chegar em local previamente definido. Com cautela, após observação da área para garantir a segurança, o piloto de uma das aeronaves realizou a descida. Em solo, após verificar a identidade do evasor, realizou o resgate. Paralelamente, o segundo helicóptero realizava a vigilância, inclusive com disparo de tiros reais com suas metralhadoras laterais, simulando autodefesa contra inimigos.

Para o Comandante do Esquadrão, Tenente-Coronel Aviador Leonardo Ell Pereira, os objetivos foram atingidos. “Nós cumprimos todo o adestramento de tiro lateral, alcançando todos os índices de manutenção e de elevação operacional. E, o mais importante, fizemos tudo com elevado nível de segurança”, afirmou.

O Chefe da Seção de Operações, Major Aviador Milton Luis Merlino Barbosa Junior, explica que o adestramento foi completo. “Esta foi uma oportunidade ímpar de treinamento para colocarmos a doutrina em dia, aprimorar as habilidades, tanto dos pilotos, quanto dos tripulantes, dos artilheiros, dos homens de resgate e do pessoal de apoio em solo como, por exemplo, a equipe de material bélico”, disse.

Pela primeira vez no Exercício, o Tenente Aviador Gustavo Pereira Freitas agradeceu a oportunidade. “É um exercício bem completo e eu fico muito orgulhoso de fazer parte desta manobra”, afirmou.

Preparo

Um dos fatores fundamentais para o sucesso de qualquer missão é o preparo operacional das tripulações. Para atingir alto nível técnico e doutrinário, agindo com a pronta-resposta requerida na execução das ações, os Esquadrões da FAB realizam treinamentos constantes. Neste contexto, o Comando de Preparo (COMPREP) tem seu papel destacado.

Fonte: FAB      Fotos: Tenente Cristiane / CECOMSAER   Vídeo: Sargento Santiago / CECOMSAER

KC-390 da FAB decola rumo ao Líbano com ajuda humanitária


Publicada em 12/08/2020 13:45

Um KC-390 da FAB decolou do Aeroporto Internacional de Guarulhos-SP, nesta quarta-feira (12), no final da manhã, com destino a capital libanesa Beirute.

A aeronave está carregada com 5,5 toneladas de medicamentos, insumos e equipamentos médico-hospitalares e alimentos, para serem distríbuidos na cidade que sofreu uma forte explosão na semana passada.

O presidente Jair Bolsonaro, juntamente com demais autoridades, entre eles o ex-presidente Michel Temer, que foi escolhido para chefiar a missão assistiram a decolagem do KC-390.

Além do KC-390, o VC-2, está também está indo para o Líbano com representantes da delegação brasileira para esta operação.

No entanto, o Brasil enviará mais ajuda ao país, só que pelo mar. AO todo serão enviados 4 mil toneladas de arroz.

Entretanto, outras nações também estão na lista de ajuda para o Líbano, são eles os EUA, França, Rússia, Reino Unido, Alemanha, Egito.

Todavia, o destaque das ajudas também é de Israel que não tem boas relações diplomáticas com o Líbano e está oferecendo ajuda humanitária.